O uso do solo e as mudanças microclimáticas: estudo do campo térmico e higrométrico - DOI 10.5216/ag.v6i2.16233

Autores

  • Elis Dener Lima Alves Universidade de São Paulo
  • Marcelo Sacardi Biudes Universidade Federal de Mato Grosso

DOI:

https://doi.org/10.5216/ag.v6i2.16233

Resumo

Atualmente, a crescente urbanização tem gerado sérios problemas ambientais, que refletem na qualidade de vida das pessoas. No local de estudo, o uso do solo tem sido transformado, as áreas verdes estão dando espaço às edificações, sem estudo prévio de como estas modificações afetariam o comportamento do seu microclima. Dessa forma o objetivo desse trabalho foi de analisar em dois períodos, chuvoso e seco, em três horários, 8h, 14h e 20h, a variabilidade espacial e temporal da temperatura do ar e da umidade relativa do ar no campus de Cuiabá da Universidade Federal de Mato Grosso. Quanto à variabilidade temporal, os resultados revelaram que os dois períodos de coleta apresentaram valores e comportamentos distintos. Em relação à variabilidade espacial foi observado que a temperatura do ar e da umidade relativa do ar estiveram correlacionadas com os tipos de uso do solo. Em que as áreas cobertas por vegetação apresentaram os menores valores médios de temperatura do ar e os maiores valores médios de umidade relativa, enquanto que as áreas cobertas por pavimento asfáltico apresentaram o inverso. Portanto, observa-se a urgente necessidade de se planejar a área de estudo em relação ao seu ambiente climático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elis Dener Lima Alves, Universidade de São Paulo

Graduado em Geografia, Mestre em Física Ambiental, Doutorando em Ciências da Engenharia Ambiental.

Marcelo Sacardi Biudes, Universidade Federal de Mato Grosso

Doutor em Agricultura Tropical.

Downloads

Publicado

2012-08-28

Como Citar

ALVES, E. D. L.; BIUDES, M. S. O uso do solo e as mudanças microclimáticas: estudo do campo térmico e higrométrico - DOI 10.5216/ag.v6i2.16233. Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 6, n. 2, p. 95–111, 2012. DOI: 10.5216/ag.v6i2.16233. Disponível em: https://revistas.ufg.br/atelie/article/view/16233. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos