PENSARFAZER DANÇA DESDE UMA PERSPECTIVA CONTEMPORÂNEA E DECOLONIAL

Autores

  • Raquel Purper Instituto Federal de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-8949-8092
  • Olga Brigitte Oliva de Araújo Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal, Brasília, Distrito Federal, Brasil.

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v6i2.65655

Resumo

Este artigo tem como objetivo propor pensarfazer processos de ensinoaprendizagem em dança desde uma perspectiva contemporânea decolonial. Foi possível identificar pontos de convergência entre estas perspectivas, já que ambas as correntes de pensamento compartilham pressupostos da concepção libertadora de educação, tais como dialogicidade, defesa da democracia, indissociabilidade entre teoria e prática; corpo mente; razão emoção; incentivo à autonomia dos educandos no seu processo de ensinoaprendizagem e respeito a pluralidade de ideias. A perspectiva decolonial de educação complementa a perspectiva contemporânea de ensino da dança ao fazer refletir sobre o eurocentrismo presente nos currículos dos cursos de dança, sobre a distribuição desigual de valor dada às produções de dança oriundas da Europa e EUA e às produções latino-americanas, especialmente as danças de matrizes afro-brasileiras e indígenas e ao defender uma educação intercultural. Nesse sentido, o pensarfazer processos de ensinoaprendizagem em dança desde uma perspectiva contemporânea e decolonial perpassa pela criação de um currículo de dança intercultural nos espaços formais de ensino, pelo incentivo à pesquisa de pedagogias decoloniais de dança e ao intercâmbio cultural entre as redes de dança latino-americanas.

Palavras-chave: dança; decolonial; ensinoaprendizagem; interculturalidade; pensarfazer

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Raquel Purper, Instituto Federal de Brasília, Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Possui graduação em Jornalismo pela PUC/RS e em Teatro pela UFRGS. Mestra em Artes Cênicas pela UFRGS e Doutora em Teatro pela UDESC com pesquisa na área de dança contemporânea. Atualmente, é professora do curso de Licenciatura em Dança do IFB.

Olga Brigitte Oliva de Araújo, Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal, Brasília, Distrito Federal, Brasil.

Possui graduação em Pedagogia pela UnB, graduação em Licenciatura em Dança pelo IFB e mestrado em Direitos Humanos pela UnB, com pesquisa relacionada a Pedagogias Decoloniais. Atualmente, atua no acompanhamento de adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, em meio aberto, na Secretaria de Justiça e Cidadania do DF.  

Referências

CORRÊA, Josiane Franken; SANTOS, Vera Lúcia Bertoni dos. Dança na Educação Básica: apropriações de práticas contemporâneas no ensino de dança. Revista Brasileira de Estudos da Presença. Porto Alegre, v. 4, n. 3, 2014. p. 509-526.

CASTILHOS, ALEXANDRA; PURPER, Raquel. Estudos Coreográficos no Ensino Superior de Dança In: Revista de Ciências Humanas. Universidade Federal de Viçosa, 2014.

Currículo em Movimento da Educação Básica do Distrito Federal, 2ª Edição, SEEDF, 2018. Minuta. Versão para consulta pública. Disponível em: http://www.se.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/08/Curriculo-em-Movimento-da-Educa%C3%A7%C3%A3o-Basica-CONSULTA-P%C3%9ABLICA-minuta.pdf. Acesso em junho 2019.

DANTAS, Mônica. De que são feitos os dançarinos de “aquilo...”: criação coreográfica e formação de intérpretes em dança contemporânea. Movimento, Porto Alegre, v. 11, n. 2, p. 31-57, maio/ago. 2005. DANTAS, Mônica. Corpos em trânsito/Corpos

DUSSEL, E. 1492 - El encubrimiento del Otro: hacia el origen del “mito de la Modernidad”. La Paz: UMSA - Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación; Plural Editores, 1994. (Colección Academia, n.1).

FANON, F. Os condenados da terra. Trad. Enilce Albergaria Rocha e Lucy Magalhães. Juiz de Fora/MG: Editora UFJF, 2005.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. 47ª Ed. Petrópolis: Vozes, 2005 (1970).

GONÇALVES, Thais. Arte e poder: relações entre corpo, dança e política In: IV Jornada InternacionaL de Políticas Públicas, 2009, São Luís - MA. Anais IV Jornada Internacional de Políticas Públicas - Neoliberalismo e lutas sociais: perspectivas para políticas públicas, 2009 v. 1 p. 1-9

LEPECKI, André. O corpo colonizado. Revista Brasil. Gesto Coreográfico do Rio de Janeiro, nº 2, v. 6, 2003.

MALDONADO-TORRES, Nelson. A topologia do Ser e a geopolítica do conhecimento. Modernidade, império e colonialidade. Revista Crítica de Ciências Sociais, 80, Março 2008.

QUIJANO, A. Colonialidade do poder, eurocentrismo e América Latina: In: LANDER, Edgardo (org.). A colonialidaede do saber, eurocentrismo e ciências sociais – perspectivas latino-americanas. Trad. Júlio Cesar Casarin Barroso Silva. Buenos Aires: CLASCSO, 2005, p. 117-142. Disponível em: , acesso em 11 de junho de 2016.

____________. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa & MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, p. 84-130, 2010.

ROCHA, Thereza. O que é dança contemporânea? uma aprendizagem e um livro de prazeres. Salvador: Conexões Criativas, 2016.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia dos saberes. In: SANTOS, Boaventura de Sousa. MENESES, Maria Paula. (orgs). Epistemologias do Sul. Coimbra: Edições Almedina, 2009

__________________________. Para uma sociologia das ausências e uma sociologia das emergências. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, 63, p. 237-280, out. 2002.

SEGATO, Rita Laura. Brechas decoloniales para una universidad nuestroamericana. Em: Observatório da Jurisdição Constitucional, ano 5, 2011/2012.

WALSH, Catherine. Introdução: Lo pedagógico y lo decolonial: Entretejiendo caminhos. In: WALSH, Catherine. (org). Pedagogías decoloniales: Prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013.

WALSH, C. Interculturalidad, crítica y pedagogía de-colonial: apuestas (des) de el in-surgir, re-existir y re-vivir. Em: P. Melgarejo (Comp.). Educación Intercultural en América Latina: memorias, horizontes históricos y disyuntivas políticas. Ciudad de México: Universidad Pedagógica Nacional / CONACIT / Plaza y Valdés, pp. 25-43, 2009.

Vídeos

CARVALHO, J.J. Palestra de José Jorge de Carvalho proferida no Encontro de Saberes, Rio de Janeiro Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=R_0rIcsrvF0>. Acesso em junho de 2016.

CONEXÃO CIÊNCIA. Entrevista com José Jorge de Carvalho sobre Saberes Tradicionais. Disponível https://www.youtube.com/watch?v=ZKFsomUrbpw. Acesso em junho de 2017

Downloads

Publicado

2020-12-26

Como Citar

PURPER, R.; BRIGITTE OLIVA DE ARAÚJO, O. . PENSARFAZER DANÇA DESDE UMA PERSPECTIVA CONTEMPORÂNEA E DECOLONIAL. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 6, n. 2, p. 276–310, 2020. DOI: 10.5216/ac.v6i2.65655. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/65655. Acesso em: 27 mar. 2023.

Edição

Seção

Dossiê Temático: Eixo 3: Antropologias