MONSTRUOSIDADE NA MONTAÇÃO

A performatividade monstruosa de drag queens, dançarinas burlescas e de voguing fotografadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v6i1.59818

Resumo

Este artigo trata das montações monstruosas praticadas por drag queens, dançarinas burlescas e de voguing nas cidades do Rio de Janeiro, RJ, São Paulo, SP e Salvador, BA, nos anos de 2017 e 2018 e que foram fotografadas para o projeto “m0n5+r_S”, pela autora do trabalho. A série de imagens foi realizada em concursos de performance, balls e cabarés, onde a prática performativa da montação era realizada; e editada para que se evidencie os aspectos monstruosos, estranhos e grotescos das imagens. Neste texto, serão descritos alguns aspectos dessa prática, suas implicações éticas, estéticas e políticas, além de contextualizá-la na discussão sobre o queer/cuir e a comunidade LGBTQIA+, utilizando para isso conceitos de Paul Preciado, Judith Butler, Jaqueline de Jesus, Nízia Villaça e Hija de Perra. Contextualizando também as noções de monstruosidade e grotesco nesta forma artística contemporaneamente, através das ideias apontadas por Jacques Rancière, Diego Paleólogo, Muniz Sodré e Raquel Paiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

MAIRA LOPES BARILLO, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Mestre em Artes da Cena pela UFRJ, com a pesquisa "m0n5+r_S: fotografia/montação", sobre montação, fotografia de performance e performatividade e monstruosidade. Fotógrafa de peças teatrais, shows e performances; além de criadora de retratos em colaboração com artistas da montação e performers.

Downloads

Publicado

2020-07-25

Como Citar

BARILLO, M. L. MONSTRUOSIDADE NA MONTAÇÃO: A performatividade monstruosa de drag queens, dançarinas burlescas e de voguing fotografadas. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 6, n. 1, 2020. DOI: 10.5216/ac.v6i1.59818. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/59818. Acesso em: 19 maio. 2024.