RESISTÊNCIAS AO DESENRAIZAMENTO DA PALAVRA

Autores

  • Naiara Alice Bertoli Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

DOI:

https://doi.org/10.5216/ac.v4i1.51715

Palavras-chave:

Narração, Mulheres Baniwa, Corpo-Arquivo.

Resumo

A palavra parece valer pouco no mundo do progresso. Aqui não há tempo para palavras como comunidade, memória e experiência, mas estas resistem desde as “margens” e têm ocupado espaços de poder: a literatura indígena, por exemplo, tem presenteado muitos escritores com seus universos singulares, evidenciando as diferenças existentes nos mais de 305 povos e nas mais de 280 línguas, só no Brasil. Porém, estas são, ainda, histórias invisibilizadas no país e há que se ter o cuidado para, ao contá-las, não cair em estereótipos e romantizações distantes da realidade e acabar reiterando a marginalização dos povos originários. Dessa forma, para o contador de história não indígena há um desafio diante dessa diversidade e, ao mesmo tempo, falta de conhecimento: como contar estas histórias? Quais as implicações éticas? Como as diferentes etnias vivem as suas histórias ancestrais no seu cotidiano? Neste artigo procuro compreender estes questionamentos que me levaram, enquanto “corpo-arquivo”, aos caminhos junto às mulheres Baniwa na comunidade de Itacoatiara-Mirim, na região periurbana da cidade de São Gabriel da Cachoeira (AM). E, por fim, vislumbro a possibilidade de, nesta vivência, “trair” a palavra dita “ocidental”, em busca de narrações mais enraizadas onde possa haver escuta, vínculo e pertencimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Naiara Alice Bertoli, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Mestranda em Teatro (PPGT), Linha de Pesquisa: Linguagens Cênicas, Corpo e Subjetividade.

Referências

REFERÊNCIAS

BAITELLO, Norval. Corpo e Imagem: comunicação, ambientes e vínculos. In RODRIGUES, David (org). Os valores e as atividades corporais. São Paulo: Summus, 2008.

BARROS, Manuel de. Poesia completa: Manoel de Barros. São Paulo: Editora Leya, 2010.

BENJAMIN, Walter. O Narrador In: Obras escolhidas - Vol. 1 - Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo, Brasiliense, 1986.

BERTOLI, Naiara Alice. Um projeto de encenação a partir de um olhar performático sobre o Teatro Ambientalista, Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado e Licenciatura em Teatro) –Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC), Florianópolis, 2012.

BONDÍA, Jorge Larrosa. Notas Sobre a Experiência e o Saber de Experiência. In Revista brasileira de educação. Conferência proferida no I Seminário Internacional de Educação de Campinas em julho de 2001. Tradução de João Wanderley Geraldi. Campinas, Brasil, 2002.

BRASIL. Constituição Federal, 2008. Lei publicada e disponível em <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm> Acessado em outubro de 2017.

BRUM, Eliane. O golpe e os golpeados: A barbárie de um país em que as palavras já não dizem In El País. Disponível em: <http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/20/opinion/1466431465_758346.html?id_externo_rsoc=FB_CC>, acessado em Junho de 2016.

CABALZAR, Aloisio (Org.). Manejo do mundo: conhecimentos e práticas dos povos indígenas do Rio Negro, noroeste amazônico. São Paulo: ISA – Instituto socioambiental; São Gabriel da Cachoeira: FOIRN – Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro, 2010.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. Involuntários da pátria. Aula pública do antropólogo Eduardo Viveiros de Castro durante o ato Abril Indígena, Cinelândia, Rio de Janeiro 20/04/2016. Disponível em: <http://provocadisparates.blogspot.com.br/2016/04/os-involuntarios-da-patria-eduardo.html>, acessado em junho de 2016.

FIADEIRO, João; EUGÊNIO, Fernanda. O encontro é uma ferida. Excerto da conferência-performance Secalharidade. Culturgest, junho 2012. Disponível em: <https://ladcor.files.wordpress.com/2013/06/o-encontro-c3a9-uma-ferida.pdf>, acessado em junho de 2016.

FISCHER-LICHTE, Erika. Estética de lo performativo. Madrid: Abada Editores, 2011.

HAMPATÉ BÂ, Amadou. A Tradição Viva. In História geral da África I: Metodologia e pré-história da África. Brasília: UNESCO, 2010.

HESSE, Hermann. Demian. 9.ed. São Paulo: Civilização Brasileira, 1974.

ÍNDIOS, Munduruku, Tecendo a resistência. Direção: Nayana Fernandez. Reino Unido/Brasil: 2015. 25min. Disponível em: <http://www.canalibase.org.br/munduruku-lutam-pelo-territorio/>, acessado em setembro de 2015.

KRENAK, Ailton. O eterno retorno do encontro In A Outra Margem do Ocidente. Minc-Funarte/Companhia Das Letras, 1999.

LEPECKI, André. El cuerpo como archivo: el deseo de recreación y las supervivencias de las danzas. In: NAVERÁN, Isabel; ÉLIJA, Amparo (Org.). Lecturas sobre Danza y Coreografia. Madrid: Artea Editorial, 2013.

MUNDURUKU, Daniel. Parece que foi ontem. São Paulo: Global Editora, 2006.

NOVARINA, Valère. Luces del cuerpo. Bilbao: ArtezBlai Sl, 2011.

PINTO, Renan Freitas. Amazônia – Viagem das ideias. 3.ed. Manaus: Valer, 2012.

SCHECHNER, Richard. El teatro ambientalista [Environmental Theater]. México: Árbol Editorial, S.A. de C.V. Colección Escenario, 1988.

SCHECHNER, Richard. Performance – teoría y prácticas interculturales. Buenos Aires: Libros del Rojas, 2000.

STAMBAUGH, Antônio Prietto. ¡Lucha libre! Actuaciones de teatralidad y performance. In: Actualidad de las artes escénicas: Perspectiva latinoamericana. México: Universidad Veracruzana, 2009.

TAYLOR, Diana e FUENTES, Marcela (org.). Introducción. In: Estudios avanzados de performance. México: Fondo de Cultura Económica, 2011.

TURNER, Victor. Antropología del ritual. México: INAH/ENAH, 2002.

WEIL, SIMONE. Echar raíces. Editor digital: RLull ePub base r1.2, 1943.

Disponível em: <https://www.lectulandia.com/book/echar-raices/>, acessado em julho de 2017.

WRIGHT, Robin M. História indígena e do indigenismo no Alto Rio Negro. Campinas/SP: Mercado de Letras; São Paulo: Instituto Socioambiental – ISA, 2005.

Downloads

Publicado

2018-07-31

Como Citar

BERTOLI, N. A. RESISTÊNCIAS AO DESENRAIZAMENTO DA PALAVRA. Arte da Cena (Art on Stage), Goiânia, v. 4, n. 1, p. 106–135, 2018. DOI: 10.5216/ac.v4i1.51715. Disponível em: https://revistas.ufg.br/artce/article/view/51715. Acesso em: 14 jun. 2024.