Um ovo azul e outro rosa: pedagogia Kinder e a construção visual dos gêneros e das infâncias

Autores

  • João Paulo Baliscei (UEM, Brasil) Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Eliane Rose Maio (UEM, Brasil) Universidade Estadual de Maringá
  • Geiva Carolina Calsa (UEM, Brasil) Universidade Estadual de Maringá

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v14i1.36655

Resumo

Em 2013, a marca Kinder lançou produtos nas versões “azul” e “rosa”, com as palavras “meninos” e “meninas” estampadas em sua embalagem. Quais as representações que o Kinder Ovo cria sobre masculinidade e feminilidade? Para discutir sobre essa temática, realizamos uma pesquisa documental e bibliográfica, cujo objetivo é problematizar a constituição de gênero pelas representações e discursos promovidos por artefatos culturais infantis. Utilizamos o Image Watching para investigar o corpus da pesquisa, integrado por 13 imagens do que aqui chamamos de “Pedagogia Kinder”, que apresenta às crianças pós-modernas modos restritos de viverem suas infâncias e suas identidades de gênero. 

Palavras-chave: Educação, Estudo da Cultura Visual, Estudos Culturais

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João Paulo Baliscei (UEM, Brasil), Universidade Estadual de Maringá - UEM

Possui graduação em Artes Visuais pelo Centro Universitário de Maringá (2009); especialização em Arte-Educação (2010) e Educação Especial (2011) pelo Instituto de Estudos Avançados e Pós-Graduação; e Mestrado em Educação (2014) pela Universidade Estadual de Maringá. Atualmente é professor no curso de Artes Visuais na Universidade Estadual de Maringá e doutorando no Programa de Pós-Graduação em Educação da referida instituição. É membro do GEPAC - Grupo de Estudos e Pesquisas em Psicopedagogia, Aprendizagem e Cultura - e desenvolve pesquisas sobre Pedagogias Culturais, Cultura Visual, Ensino de Arte e Multiculturalismo.

Eliane Rose Maio (UEM, Brasil), Universidade Estadual de Maringá

Possui Doutorado em Educação Escolar - UNESP/Araraquara (2008), Pós-Doutorado em Educação Escolar na UNESP/Araraquara, com a temática da Trajetória da Educação Sexual no Brasil. É professora da Universidade Estadual de Maringá, no Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação (PPE).

Geiva Carolina Calsa (UEM, Brasil), Universidade Estadual de Maringá

É Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (2002). Atualmente é professora adjunta da Universidade Estadual de Maringá, no Departamento de Teoria e Prática da Educação e do Programa de Pós-graduação em Educação (PPE)..

Referências

ANDRADE, Paula Deporte de; COSTA, Marisa Vorraber. Usando Crianças para vender: infâncias e consumo na publicidade de revistas. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.18, n.2, p.230-248, jul./dez de 2010.

BALISCEI, João Paulo. Cultura Visual e representações de gênero: O que os filmes da Disney dizem sobre meninos e meninas? In: Pedagogia 2015: Encuentro Internacional por la Unidad de los Educadores, 2015, Havana. Memorias: Pedagogia 2015: Encuentro Internacional por la Unidad de los Educadores, 2015.

BALISCEI, João Paulo; STEIN, Vinícius.Como olhamos e somos olhados Como olhamos e somos olhados pelas imagens? Estudos críticos dos artefatos da cultura visual. Revista Reflexão e Ação, Santa Cruz do Sul, v.23, n.1, p.251-275, jan./jun.2015.

BALISCEI, João Paulo; TERUYA, Teresa Kazuko; STEIN, Vinícius. Como "ser homem"? Investigando discursos sobre masculinidades. Revista digital do LAV, Santa Maria, v.8, n.4, p.88-104, jan./abr.2015.

BRAGA, Eliane Rose Maio. Gênero, sexualidade e educação: Questões pertinentes à pedagogia. In: CARVALHO, Elma Júlia Gonçalves de; FAUSTINO, Rosângela Célia. (Orgs.). Educação e diversidade cultural - Maringá: Eduem, 2010, p. 205-218.

BRASIL. Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST/AIDS e Hepatites Virais. Adolescentes e Jovens para a Educação entre Pares: Gêneros. - Brasília: Ministério da Saúde, 2011.

CHINEM, Marina Jugue. As variantes sígnicas da embalagem: as relações da percepção no processo intersemiótico na construção dos estímulos táveis e visuais. In: XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação - INTERCOM, 2005. As variantes sígnicas da embalagem: as relações da percepção no processo intersemiótico na construção dos estímulos táveis e visuais, 2005. v. 4. <http://www.portcom.intercom.org.br/pdfs/124603330325699863853199878311524296455.pdf> . Acesso em 07 de maio de 205.

CORAZZA, Sandra Mara. Labirintos da pesquisa, diante dos ferrolhos. In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos investigativos I: Novos olhares na pesquisa em educação. – 3. Ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007, p.103-127.

COSTA, Marisa Vorraber . Quem são, que querem, que fazer com eles? Eis que chegam às nossas escolas as crianças e jovens do século XXI. In: MOREIRA; Antonio Flávio; GARCIA, Regina Leite; ALVES, Maria Palmira. (Org.). Cultura, cotidiano e tecnologias. Araraquara (SP): Junqueira&Marin, 2006, p. 93-109.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Entre Van Goghs, Monets e Mônicas: a infância educada através de imagens. Ciências e Letras, n. 43, p. 107-123, jan/jun, 2008.

CUNHA, Susana R. Vieira da. As Transformações da Imagem na Literatura Infantil. In: PILLAR, Alice Dutra (Org). A educação do olhar no ensino das artes. – Porto Alegre: Mediação, 2011. P.129-141.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Questionamentos de uma professora de arte sobre o ensino de arte na contemporaneidade. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. Cultura das imagens: Desafios para a arte e para a educação/ Raimundo Martins e Irene Tourinho (orgs.). - Santa Maria: Ed. da UFSM, 2012, p.99-123.

CUNHA, Susana Rangel Vieira da. Imagens como pedagogias culturais em cenários da educação infantil. In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene. Pedagogias culturais. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2014, p.199-223.

EVANGELISTA, O. . Apontamentos para o trabalho com documentos de política educacional. In: Ronaldo M. L. Araujo; Doriedson S. Rodrigues. (Org.). A pesquisa em trabalho, educação e políticas educacionais. 1ed. Campinas-SP: Alínea, 2012, v. 1, p. 52-71.

FARINA, Modesto; PEREZ, Clotilde; BASTOS, Dorinho. Psicodinâmica das Cores em Comunicação. São Paulo: Edgard Blücher, 2006. 5a Ed. (revista e ampliada). 173 p.

FILHO, João Gomes. Gestalt do Objeto: Sistema de Leitura Visual da Forma. São Paulo: Escrituras, 2000.

G1. "Após ser chamado de sexista, Kinder Ovo diz respeitar diferentes opiniões". G1 - 12 de março de 2013. Disponível em < http://g1.globo.com/economia/midia-e-marketing/noticia/2013/03/apos-ser-chamado-de-sexista-kinder-ovo-diz-respeitar-diferentes-opinioes.html>. Acesso em 07 de maio de 2015.

GIROUX, Henry. Os filmes da Disney são bons para seus filhos? In: Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Shirley R. Steinberg, Joe L. Kincheloe (Orgs.). Tradução de George Eduardo JapiassúBricio. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 89-108.

HERNÁNDEZ, Fernando. Cultura visual, mudança na educação e projetos de trabalho. Porto Alegre: ArtMed, 2000, 262p.

HERNÁNDEZ, Fernando. Catadores da cultura visual: transformando fragmentos em nova narrativa educacional. Tradução de Ana Duarte. – Porto Alegre: Mediação, 2007.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Pedagogia do armário: a normatividade em ação. Retratos da Escola , v. 7, p. 481-498, 2013.

LOURO, Guacira Lopes. O corpo educado: pedagogias da sexualidade. - Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

LOURO, Guacira Lopes. Gênero e sexualidade: pedagogias contemporâneas. Pro-Posições, Ago 2008, vol.19, no.2, p.17-23.

MORENO, Monsterrat. Como se ensina a ser menina: sexismo na escola. Editora da Unicamp, 2011.

MOMO, Mariângela. Infância e escola no espaço-tempo do consumo. In: KIRCHOF, Edgar Roberto; WORTMAN, Maria Lúcia; COSTA, Marisa Vorraber (org.). Estudos Culturais educação: contingências, articulações, aventuras, dispersões. Canoas: Ed. ULBRA, 2015, p. 93-114.

MOMO, Mariangela; COSTA, Marisa Vorraber. Crianças escolares do século XXI: para se pensar uma infância pós-moderna. Cad. Pesqui. [online]. 2010, vol.40, n.141. p. 965-991.

NUNES, Luciana Borre . As Imagens que Invadem as Salas de Aula: Reflexões sobre Cultura Visual. 1. ed. São Paulo: Ideias & Letras, 2010. 126p .

NUNES, Luciana Borre ; MARTINS, Raimundo . "Esse é o jeito rebelde de ser": produzindo masculinidades nas salas de aula. Revista Digital do LAV, v. 8, p. 3, 2012.

OLIVEIRA, Marilda Oliveira de. Minha trajetória na formação inicial. . In: OLIVEIRA, Marilda Oliveira de; HERNÁNDEZ, Fernando. (orgs.). A formação do professor e o ensino das artes visuais. – Santa Maria: Ed. UFSM, 2005. p. 23- 42.

OTT, Robert William. Ensinando Critica nos Museus. IN. BARBOSA, Ana Mae (Org.). Arte-educação. Leitura no subsolo. 8ª ed. - São Paulo: Cortez, 2011.

SCHOR, Juliet B. Nascidos para comprar: uma leitura essencial para orientarmos nossas crianças na era do consumismo. Tradução de Eloisa Helena de Souza Cabral . São Paulo: Gente, 2009.

SILVA, Tomaz Tadeu da.Teoria cultural e educação: um vocabulário crítico/ Tomaz Tadeu da Silva– Belo Horizonte: Autêntica, 2000. 128p.

STEINBERG, Shirley R; KINCHELOE, Joe L..Sem segredos: cultura infantil, saturação de informação e infância pós-modernda. In: Cultura infantil: a construção corporativa da infância. Shirley R. Steinberg, Joe L. Kincheloe (Orgs.).Tradução de George Eduardo Japiassú Bricio. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001. p. 9-52.

TERUYA, Teresa Kazuko; BALISCEI, João Paulo; NASCIMENTO, Mariana Costa do. Trabalho docente na Modernidade Líquida: O Prezi no processo ensino e aprendizagem dos/as “alunos/as surfistas”. Revista Contrapontos, v.15, n.1, p.111-121, jan./abr.2015.

TOURINHO, Irene; MARTINS, Raimundo. Investindo no potencial das pedagogias culturais... In: MARTINS, Raimundo; TOURINHO, Irene (Orgs.). Pedagogias Culturais. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2014, p. 11-14.

VEIGA-NETO, Alfredo. Olhares... In: COSTA, Marisa Vorraber (Org.). Caminhos investogativos I: Novos olhares na pesquisa em educação. – 3. Ed. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007, p.23-38.

Downloads

Publicado

2016-08-31

Como Citar

BALISCEI (UEM, BRASIL), J. P.; MAIO (UEM, BRASIL), E. R.; CALSA (UEM, BRASIL), G. C. Um ovo azul e outro rosa: pedagogia Kinder e a construção visual dos gêneros e das infâncias. Visualidades, Goiânia, v. 14, n. 1, 2016. DOI: 10.5216/vis.v14i1.36655. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/36655. Acesso em: 14 jul. 2024.