Imagens de absorção: do cinema aos ambientes imersivos digitais - DOI 10.5216/vis.v12i1.33697

Autores

  • Cesar Baio UFC

DOI:

https://doi.org/10.5216/vis.v12i1.33697

Resumo

O texto passa em revista a produção artística em ambientes virtuais para examinar os regimes de imagem instituídos por aparatos como os de realidade virtual, as caves e os panoramas digitais. A hipótese que orienta as análises é que estes aparatos estabelecem o que poderia ser entendido como regimes de absorção, vinculando-se a uma herança estética platônica que esteve presente de diferentes maneiras ao longo da história da arte, abarcando o renascimento, os panoramas do século XVIII, a fotografia e, principalmente, o cinema. Para tanto, parte-se da filosofia de Vilém Flusser e dos teóricos dos ambientes imersivos e das narrativas hipertextuais.

Palavras-chave: Teoria da imagem, imagem digital, realidade virtual

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2014-06-01

Como Citar

BAIO, C. Imagens de absorção: do cinema aos ambientes imersivos digitais - DOI 10.5216/vis.v12i1.33697. Visualidades, Goiânia, v. 12, n. 1, 2014. DOI: 10.5216/vis.v12i1.33697. Disponível em: https://revistas.ufg.br/VISUAL/article/view/33697. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos