Panorama histórico dos estudos toponímicos em libras no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v5.64069

Palavras-chave:

Toponímia, Libras, Pesquisas, Brasil

Resumo

A toponímia é a área da linguística que se dedica aos nomes próprios de lugares. Os estudos toponímicos relacionados às línguas de modalidade oral-auditiva são tradicionais no Brasil. Em línguas de modalidade visual-espacial, no entanto, são raros. O presente artigo objetiva fazer um apanhado das pesquisas que se dedicam à toponímia em Libras em território brasileiro, observando as contribuições de cada estudo e as perspectivas futuras para a área.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Melo de Sousa, Universidade Federal do Acre (UFAC), Rio Branco, Acre, Brasil

Doutor em Linguística pela Universidade Federal do Ceará (2007). Realizou Pós-Doutorado na Universidade Federal de Santa Catarina (2018-2019) na área de Linguística Aplicada/Libras. É professor Associado da Universidade Federal do Acre (UFAC). Realiza pesquisas na áres de Linguística Aplicada à Língua Brasileira de Sinais, com ênfase no léxico. Membro da Academia Acreana de Letras - cadeira n 01.

Liliane Lemos Santana Barreiros, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Feira de Santana, Bahia, Brasil.

Doutora em Língua e Cultura pela UFBA (2017). Realizou estágio de Pós-Doutorado no Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da UFMG (2018-2019). Professora Adjunta-B da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Coordena o projeto Estudo bilíngue da toponímia de Feira de Santana-BA: Português-Libras (CONSEPE-UEFS 044/2018).

Referências

AGUIAR, M. C. Descrição e análise dos sinais topônimos em Libras. In: ALBRES, N. A.; XAVIER, A. N. (Org.). Libras em estudo: descrição e análise. São Paulo: FENEIS, 2012. p. 109-121.

BARROS, M. E. ELiS – Escrita das Línguas de Sinais: proposta teórica e verificação prática. 192f. Tese (Doutorado em Linguística) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2008.

BRASIL. Lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - LIBRAS e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br /ccivil_03/leis/2002/l10436.htm>. Acesso em: 22 ago. 2018.

CAPOVILLA, F. C.; RAPHAEL, W. D. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da língua de sinais brasileira. São Paulo: Edusp, 2001.

CARVALHO, A. G.; CRUZ, A.; PRAÇA, W. N. Toponímia na Libras: motivação, formação e uso dos sinais da categoria países. In: FARIA, J. G.; REZENDE, T. F. (orgs). Expressões sinalizadas. Goiânia: Cegraf UFG, 2019, p. 161-185.

CHAIBUE, K. Toponímia e Libras a partir do sinal de Formosa – GO. In: LIMA, Á. H. V.; PITA, J. R.; SOARES, M. E. (orgs.) A Linguística na teoria e na prática. São Paulo: Pimenta Cultural, 2020, p. 408-428.

CRASBORN, O. Phonetics. In: PFAU, R.; STEINBACH, M.; WOLL, B. (Eds.). Sign Language: An International Handbook. Berlin: De Gruyter, 2012, p. 4-20.

DICK, M. V. de P. Rede de Conhecimento e Campo Lexical: hidrônimos e hidrotopônimos na onomástica brasileira. In ISQUERDO, Aparecida N.; KRIEGER, Maria da Graça. As Ciências do Léxico: lexicologia, lexicografia e terminologia. Vol. II. Campo Grande: Editora UFMS, 2004.

DICK, M. V. de P. Toponímia e Antroponímia no Brasil. Coletânea de Estudos. São Paulo, FFLCH/USP, 1990.

DICK, Maria Vicentina P. Amaral. A motivação toponímica e a realidade brasileira. São Paulo: Arquivo do Estado, 1992.

FERREIRA, D.; XAVIER, A. N. Topônimos na Libras: análise preliminar de sinais que designam bairros de Curitiba. In: Trabalhos completos da XXI Semana de Letras. Universidade Federal do Paraná, 2019. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1C7P9PSCh9jVKrSBQtUXBmr_uKAQAYX9u/view. Acesso em: 10 de maio de 2020.

FERREIRA, D. B. dos S. Estudo toponímico do centro comercial de Feira de Santana-BA: línguas orais e Libras. 186f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2019.

FERREIRA-BRITO, L. Epistemic, Alethic, and Deontic Modalities in a Brazilian Sign Language. In: S.D. Fisher and P. Siple (eds.) Theoretical Issues in Sign Language Research. Vol. 1. University of Chicago Press. 1990.

FERREIRA-BRITO, L. Por uma gramática de línguas de sinais. Tempo Brasileiro. UFRJ. Rio de Janeiro, 1995.

FERREIRA-BRITO, L. Similarities and Differences in Two Sign Languages. Sign Language Studies. 42: 45-46. Linstok Press, In: Silver Spring, USA, 1984.

FRANCISQUINI, I. de A. O nome e o lugar: uma proposta de estudos toponímicos da microrregião de Paranaval. Dissertação (Mestrado) - UEL. Londrina, PR, 1998.

ISQUERDO, A. N. O fato lingüístico como recorte da realidade sócio-cultural. Tese (Doutorado) – Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 1996.

JESUS, C. M. A. de. Estudo toponímico dos bairros de Feira de Santana-BA: línguas orais e Libras. 169f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2019.

KARNOPP, L. B. Aquisição do Parâmetro Configuração de Mão dos Sinais da LIBRAS: estudo sobre quatro crianças surdas filhas de pais surdos. Dissertação de Mestrado. Instituto de Letras e Artes. PUCRS. Porto Alegre, 1994.

KARNOPP, L. B. Aquisição fonológica na Língua Brasileira de Sinais: estudo longitudinal de uma criança surda. Tese de Doutorado. PUCRS. Porto Alegre, 1999.

LEITE, T. A.; QUADROS, R. M. Línguas de Sinais no Brasil: reflexões sobre o seu estatuto de risco e a importância da documentação. STUMPF, M. R.; QUADROS, R. M.; LEITE, T. A. (orgs). Estudos da Língua Brasileira de Sinais II. Florianópolis: Editora Insular, 2014.

LILLO-MARTIN, D.; GAJEWSKAY, J. One grammar or two? Sign Languages and the Nature of Human Language, WIREs CognSci, 2014, 5, p. 387- 401.

LIMA, I. A. de. A motivação religiosa dos topônimos paranaenses. In: Estudos lingüísticos – XLV Seminário do GEL. Campinas: UNICAMP, 1997.

LUDWIG, C. R. et al. Inventário da Libras do Tocantins: constituição e coleta de dados. Revista Desafios, 7 (1), 10-26, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.20873/uftv7-5794 Acesso em: 23 de abril de 2020.

QUADROS, R. M. As categorias vazias pronominais: uma análise alternativa com base na língua de sinais brasileira e reflexos no processo de aquisição. Dissertação de Mestrado. PUCRS. Porto Alegre, 1995.

QUADROS, R. M. Contextualização dos estudos linguísticos sobre a Libras no Brasil. In: QUADROS, R. M.; STUMPF, M. R.; LEITE, T. A. (orgs). Estudos da Língua Brasileira de Sinais I. Florianópolis: Editora Insular, 2013.

QUADROS, Ronice Müller de. Língua de herança: Língua Brasileira de Sinais. Porto Alegre: Penso, 2017.

QUADROS, R. M. et al. Língua Brasileira de Sinais: patrimônio linguístico brasileiro. Florianópolis: Editora Garapuvu, 2018.

QUADROS, R. M. Libras. São Paulo: Parábola Editorial, 2019.

QUADROS, R. M. Língua de herança: Língua Brasileira de Sinais. Porto Alegre: Penso, 2017.

QUADROS, R. M. Phrase structure of Brazilian sign language. Tese de Doutorado. PUCRS. Porto Alegre, 1999.

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SOUSA, A. M.; QUADROS, R. M. Toponímia em Libras: aspectos formais e motivacionais dos sinais toponímicos dos municípios acreanos. In: CAVALHEIRO, J.; LUDWIG, C. R.; LANES, E. J. (org.). Lingu(agem), ensino e formação docente. Manaus: Editora UEA, 2019a.

SOUSA, A. M.; QUADROS, R. M. Proposta de ficha lexicográfico-toponímica digital para o estudo da toponímia em línguas de sinais. In: Revista Guavira. Três Lagoas/MS. v. 15. n. 30, p. 126-140, 2019b.

SOUSA, A. M.; QUADROS, R. M. Toponímia em Libras: tecnologia e ensino. Anais do Simpósio Ibero-Americano de Tecnologias Educacionais 2019. Araranguá (SC): Laboratório de Experimentação Remota (Rexlab), 2019c. p. 137-146. Disponível em: https://publicacoes.rexlab.ufsc.br/index.php/sited/article/view/131/17. Acesso em: 19 de março de 2020.

SOUSA, A. M.; QUADROS, R. M. O Web Software Toponímia em Libras: pesquisa e ensino. In: SOUSA, A. M.; GARCIA, R.; SANTOS, T. C. (org.). Perspectivas para o ensino de línguas 3. São Carlos (SP): Pedro & João Editores, 2019d. Disponível em: https://ebookspedroejoaoeditores.wordpress.com/2019/09/13/perspectivas-para-o-ensino-de-linguas-volume-3/. Acesso em: 19 de março de 2020.

SOUSA, A. M. Metodologia para a pesquisa toponímica em língua Brasileira de Sinais. In: SOUSA, A. M.; GARCIA, R.; SANTROS, T. C. Perspectivas para o ensino de línguas 2. Rio Branco: Nepan, 2018, p. 9-37.

SOUSA, A. M. Toponímia em Libras. Relatório (Pós-Doutorado – Linguística Aplicada/Libras) – Programa de Pós-Graduação em Linguística. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2019.

SOUSA, A. M. Toponímia em Libras dos bairros de Rio Branco: análise da estrutura dos sinais toponímicos e dos aspectos motivacionais. In: ISQUERDO, A. N. (org.). Toponímia urbana: estudos. Campo Grande, MS: Ed. UFMS, 2020. (no prelo)

SOUZA JR, J. E. G. Nomeação de lugares na língua de sinais brasileira: uma perspectiva de toponímia por sinais. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Linguística. Universidade de Brasília – UnB. Brasília, 2012.

UEFS/CONSEPE. Resolução CONSEPE Nº 044/2018. Aprova o Projeto de Pesquisa Estudo bilíngue da toponímia de Feira de Santana-BA: Português-Libras, sob a coordenação da Profa. Dra. Liliane Lemos Santana Barreiros, do Departamento de Letras e Artes, desta Universidade. Feira de Santana-BA: D.O.E., 13 abr. 2018.

URBANSKI, I. R. W.; XAVIER, A. N.; FERREIRA, D. Topônimos na Libras: análise preliminar de sinais que nomeiam cidades do estado do Paraná. In: Trabalhos completos da XXI Semana de Letras. Universidade Federal do Paraná, 2019. Disponível em: https://drive.google.com/file/d/1C7P9PSCh9jVKrSBQtUXBmr_uKAQAYX9u/view. Acesso em: 10 de maio de 2020.

Downloads

Publicado

2020-11-12

Como Citar

MELO DE SOUSA, A.; BARREIROS, L. L. S. Panorama histórico dos estudos toponímicos em libras no Brasil. Revista Sinalizar, Goiânia, v. 5, 2020. DOI: 10.5216/rs.v5.64069. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revsinal/article/view/64069. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos