Variantes geográficas da libras: análise dos sinais para meses em Goiás e Mato Grosso do Sul

Autores

  • Fabiane Ferreira da Silva Moraes Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), Dourados, Mato Grosso do Sul

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v3i2.55564

Palavras-chave:

Libras. Variantes geográficas. Sociolinguística.

Resumo

O presente trabalho objetiva analisar as variantes geográficas da Libras (Língua Brasileira de Sinais) no que se refere aos sinais utilizados em Goiás e Mato Grosso do Sul, para designar os meses de janeiro a dezembro. A pesquisa, de caráter documental, investigou os sinais listados nos documentos publicados pelo Centro de Capacitação de Profissionais da Educação e de Atendimento às Pessoas com Surdez (CAS). A análise dos dados baseou-se teoricamente na Sociolinguística Variacionista e nos pressupostos fornecidos pelos estudos linguísticos da Libras. Os sinais coletados foram descritos com base nos parâmetros e ordem da Escrita de Línguas de Sinais (ELiS). O estudo do corpus permitiu a identificação de vinte e um sinais distintos, com variação em um, dois ou em todos os parâmetros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARROS, Mariângela Estelita. Escrita das Línguas de Sinais. In: QUADROS, Ronice Müller de; ERLIN, Gladis (org.). Estudos Surdos II. Petrópolis: Arara Azul, 2007.

______. ELiS: Sistema Brasileiro de Escrita as línguas de sinais. Porto Alegre: Penso, 2015 CAMACHO, Roberto Gomes. Sociolinguística. In: MUSSALIM, F.; BENTES, A. C. (org.). Introdução à Lingüística. v. 1. São Paulo: Contexto, 2001.

CENTRO DE CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO E DE ATENDIMENTO ÀS PESSOAS COM SURDEZ/ GOIÁS. Apostila Libras I. Goiás: Secretaria de Educação, 2011.

CEZARIO, Maria Maura; VOTRE, Sebastião. Sociolinguística. In: MARTELOTTA, Mário Eduardo (org.). Manual de linguística. São Paulo: Contexto, 2011.

QUADROS, R. M. de & KARNOPP, L. Língua de sinais brasileira: estudos lingüísticos. Porto Alegre: ArtMed, 2004.

SEGALA, Rimar Romano; SOUZA, Rosemeri Bernieri. A perspectiva social na emergência das Línguas de Sinais: a noção de “Comunidade de fala” e idioleto segundo o modelo teórico laboviano. In: QUADROS, Ronice Müller de; STUMPF, Marianne Rossi (org.). Estudos Surdos IV. Petrópolis: Arara Azul, 2009.

STROBEL, Karin Lilian; FERNANDES, Sueli. Aspectos lingüísticos da Libras. Curitiba: SEED/SUED/DEE, 2008.

TARALLO, Fernando. A pesquisa sociolingüística. São Paulo: Ática, 1986.

Downloads

Publicado

2018-12-21

Como Citar

MORAES, F. F. da S. Variantes geográficas da libras: análise dos sinais para meses em Goiás e Mato Grosso do Sul. Revista Sinalizar, Goiânia, v. 3, n. 2, p. 39–55, 2018. DOI: 10.5216/rs.v3i2.55564. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revsinal/article/view/55564. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos