Liaison interpreting ou escort interpreting? Um estudo sobre a interpretação de libras-português na área empresarial

Autores

  • Aline Vanessa Poltronieri-Gessner Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), Trindade, Florianópolis
  • Silvana Aguiar dos Santos Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), Trindade, Florianópolis http://orcid.org/0000-0002-5310-7480

DOI:

https://doi.org/10.5216/rs.v2i2.50246

Palavras-chave:

Estudos da Interpretação. Interpretação de acompanhamento. Interpretação de ligação. Intérpretes de Libras-Português. Área empresarial.

Resumo

No Brasil, os conceitos de “interpretação de ligação” e de “interpretação de acompanhamento”, usados nas línguas de sinais, têm sido pouco abordados na produção acadêmica dos Estudos da Interpretação. Este texto apresenta e discute algumas nomenclaturas designadas para a atuação de intérpretes na esfera empresarial tal como a interpretação de acompanhamento, também conhecida como escort interpreting ou liaison interpreting, e popularmente disseminada como “interpretação de ligação”, ou como aparece nas produções acadêmicas, “interpretação comunitária”. Respaldam teoricamente este trabalho: Couto et al. (2010), Torres e Silva (2014), Hsieh (2003), Pöchhacker (2010) e Russo (2004). Na Introdução, este trabalho apresenta as principais demandas desse campo; na primeira seção, propõe-se a uma reflexão sobre os Estudos da Interpretação e a esfera empresarial; nas seções seguintes, discute a variedade de nomenclaturas atribuídas ao profissional que trabalha neste campo e as implicações desses conceitos para a atuação dos intérpretes de Libras-Português, para enfim, nas considerações finais, retomar os principais tópicos discutidos no texto a partir de uma perspectiva mais completa e madura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Vanessa Poltronieri-Gessner, Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), Trindade, Florianópolis

Tradutora-Intérprete de Libras-Português da Universidade Federal de Santa Catarina. Bacharel em Letras Libras - Língua Brasileira de Sinais pela UFSC. Tem experiência na área de interpretação educacional (do ensino básico até a pós graduação), interpretação midiática (contexto político e publicitário). Atuou nas instituições Universidade Regional de Blumenau - FURB e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial - SENAC/SC.

Silvana Aguiar dos Santos, Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), Trindade, Florianópolis

Professora do Departamento de Língua de Sinais Brasileira da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Vice-líder do grupo de pesquisa InterTrads – Grupo de Pesquisa em Interpretação e Tradução de Línguas de Sinais. 

Referências

BRASIL. Lei 8.213, de 24 de julho de 1991. Dispõe sobre os planos da Previdência Social e dá outras providências. Brasília, 1991. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8213cons.htm>. Acesso em: 03 abr. 2016.

_____. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Dispõe sobre a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm>. Acesso em: 10 out. 2017.

CAVALLO, Patrizia; REUILLARD, Patrícia Chittoni Ramos. Estudos da Interpretação: tendências atuais da pesquisa brasileira. Letras & Letras, v. 32, n. 1, p. 353-368, 2016. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/letraseletras/article/view/33199>. Acesso em: 13 set. 2017.

COUTO, Alberto et al. Traduzir palavras, aproximar culturas: o ensino da Interpretação de Acompanhamento no ISCAP. Polissema: Revista de Letras do ISCAP, v. 10, n. 10, p. 43-64, 2010. Disponível em: <http://recipp.ipp.pt/handle/10400.22/2922>. Acesso em: 29 jul. 2015.

GINEZI, LucianaLatarini. Cafés do Brasil: estudo de variantes em português e inglês na língua falada. 2007. 270 f. Dissertação (Mestrado em ‘Estudos Linguísticos e Literários em Inglês’) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: http://www. teses. usp. br/teses/disponiveis/8/8147/tde-03042008-134508/ Acesso em: 18 jan. 2016. 156

Gonzalez, Roseann Duenas et al. Fundamentals of Court Interpretation: Theory, Policy, and Practice. Durham, NC: Carolina Academic Press, 1991.

HSIEH, Elaine. The importance of liaison interpreting in the theoretical development of translation studies.In:Seventh Symposium on the Teaching of Translation and Interpretation,Taipei, Taiwan. 2003. Disponível em:

<http://faculty-staff.ou.edu/H/Elaine.K.Hsieh-1/download/Hsieh2003-2.pdf>. Acessoem: 18 jan. 2016.

ISHAM, William P. Signed language interpreting. In: BAKER, M. (org.) Routledge encyclopedia of translation studies.1 st edition. London and New York: Routledge, 1998. p. 231-235.

JESUS, Ringo B. “Ei aquele é o intérprete de Libras?” Atuação de intérpretes de Libras no contexto de saúde. 2017. 194 f. Dissertação (Mestrado em ‘Estudos da Tradução’) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2017. Acessoem 18 set. 2017.

MUNDAY, Jeremy.The Routledge Companion to Translation Studies.[Abingdon]: Routledge, 2009.

NAIMUSHIN, Boris. Tightrope-walking on the Moral High Wire: Ethical Decision- Making in Conference and Escort Interpreting. Frankfurt: Peter Lang, 2012.

Disponível em:

<http://eprints.nbu.bg/1682/1/Naimushin_Ethical_Decision_Making_Translata_2011.pd f>. Acesso em: 18 jan. 2016.

PAGURA, Reynaldo. A interpretação de conferências: interfaces com a tradução escrita e implicações para a formação de intérpretes e tradutores. DELTA: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada. v.19 e n. esp, p.209-236, 2003.

Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 44502003000300013&script=sci_abstract&tlng=pt Acesso em: 20 jun. 2017.

PEREIRA, Maria Cristina Pires. Interpretação interlíngue: as especificidades da interpretação de língua de sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 1, n. 21, p. 135-156, 2008. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2008v1n21p135

Acesso em: 15 fev. 2016.

_____. Produções Acadêmicas sobre Interpretação de Língua de Sinais: dissertações e teses como vestígios históricos. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 2, n. 26, p. 99-117, 2010. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2010v2n26p99

Acesso em: 20 abr. 2016. 157

_____. Reflexões sobre a tipologia da interpretação de línguas de sinais. Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, p. 46-77, 2015. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p46

Acesso em: 15 fev. 2016.

PÖCHHACKER, Franz. Introducing Interpreting Studies, London and New York: Routlegde, 2004.

_____. Issues in Interpreting Studies. In: MUNDAY, Jeremy. The Routledge Companion to Translation Studies.London: Routledge. 2009, p.128-140.

_____; QUEIROZ, Mylene. Conexões Fundamentais: Afinidade e Convergência nos Estudos da Interpretação. ScientiaTraductionis, Florianópolis, n. 7, p. 61-75, 2010. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/scientia/article/view/13946

Acesso em: 10 abr. 2016.

QUEIROZ, Mylene. Interpretação Médica no Brasil. 2011. 137 f. Dissertação (Mestrado em ‘Estudos da Tradução’) - Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/95825?show=full Acesso em: 10 fev. 2016.

RODRIGUES, Carlos Henrique. Da interpretação comunitária à interpretação de conferência: desafios para formação de intérpretes de língua de sinais. In: Congresso Brasileiro de Pesquisa em Tradução e Interpretação de Língua de Sinais Brasileira, II, 2010, Florianópolis. Anais, Florianópolis: UFSC, 2010. p.01-07. Disponível em:

http://www.congressotils.com.br/anais/anais2010/Carlos%20Henrique%20Rodrigues.pdf

Acesso em: 10 jan. 2016.

_____; BEER, Hanna. Os estudos da tradução e da interpretação de línguas de sinais: novo campo disciplinar emergente? Cadernos de Tradução, Florianópolis, v. 35, n. 2, p. 17- 45, 2015. Disponível em:

https://periodicos.ufsc.br/index.php/traducao/article/view/2175-7968.2015v35nesp2p17

Acesso em: 27 set. 2017.

RUSSO, M. Community Interpreter, Liaison Interpreter, ad hoc Interpreter, Intercultural Mediator... What kind of curriculum for such a multifaceted profession. In: Professionalization of interpreting in the community, 4, 2004, Estocolmo. Artigo, Estocolmo: International Conference Critical Link, 2004. p. 1-9. Disponível em:

http://static1.squarespace.com/static/52d566cbe4b0002632d34367/t/5347f79be4b0b891 fcd56cad/1397225371847/CL4_Russo.pdf . Acesso em: 15 fev. 2016.

SANTOS, Silvana Aguiar dos. Tradução/interpretação de língua de sinais no Brasil: uma análise das teses e dissertações de 1990 a 2010. 2013. 313 f. Tese (Doutorado em ‘Estudos da Tradução’) – Centro de Comunicação e Expressão, Universidade Federal de Santa Catarina , Florianópolis, 2013. Disponível em:

http://www.bu.ufsc.br/teses/PGET0178-T.pdf . Acesso em: 1º jun. 2016.

_____. Questões emergentes sobre a interpretação de libras-português na esfera jurídica. 158

Revista Sinalizar, Goiânia, v. 2, n.2, p. 139 - 159, jul.- dez., 2017. ISSN: 2448-0797.

Belas Infiéis, Brasília, v. 5, n. 1, p. 117-129, 2016. Disponível em:

http://periodicos.unb.br/index.php/belasinfieis/article/view/19511. Acesso em: 1 jun. 2017.

SCAPOL, Evelise C. Interpretação de acompanhamento em indústrias – um relato sobre as particularidades da função. In: Coleção Tópicos e Contextos em Interpretação, Londrina, v. 1, p. 01-22, 2016. Disponível em:

<http://www.interpret2b.com/publicacoes>. Acesso em: 10 jun. 2016.

TORRES, Milton L.; SILVA, Josiane. Comportamentos e atitudes essenciais na interpretação de acompanhamento: A perspectiva dos clientes. Tradterm, São Paulo, v. 23, p. 35-57, 2014. Disponível em:

.Acesso em: 4 out. 2015.

WADENSJÖ, Cecília. The double role of a dialogue interpreter. In: PÖCHHACKER, Franz and SHLESINGER, Mirian (eds). The Interpreting Studies Reader. London / New York: Routledge. 2002. p. 355–370.

Downloads

Publicado

2017-12-20

Como Citar

POLTRONIERI-GESSNER, A. V.; SANTOS, S. A. dos. Liaison interpreting ou escort interpreting? Um estudo sobre a interpretação de libras-português na área empresarial. Revista Sinalizar, Goiânia, v. 2, n. 2, p. 139–159, 2017. DOI: 10.5216/rs.v2i2.50246. Disponível em: https://revistas.ufg.br/revsinal/article/view/50246. Acesso em: 5 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigos