Notícia

04-03-2020

A Revista Articulando e Construindo Saberes – RACS –, criada em 2016, vem ampliando a sua proposta de ser um espaço de encontro de pesquisadores/as nacionais e internacionais interessados/as em temas como interculturalidade/transculturalidade, educação intercultural, transdisciplinaridade, justiça social, direitos humanos, políticas de globalização contra-hegemônica, políticas linguísticas interculturais, na medida em que se torna divulgada e conhecida em redes de diálogos interepistêmicos, como a RED ESIAL – Rede Interuniversitária de Educação Superior e Povos Indígenas e afrodescendentes na América Latina/untref.edu.ar/sitios/ciea/red-esial/).

A RED ESIAL é um espaço de cooperação interinstitucional, cujo principal objetivo é gerar mecanismos de cooperação entre universidades. Facilitar o intercâmbio e a colaboração entre membros de equipes da Universidade e outros tipos de instituições de ensino superior de países latino-americanos que desenvolvem experiências com comunidades e/ou membros (estudantes, professores ou outros) de povos indígenas e afrodescendentes.

Outra grande colaboradora na divulgação da Articulando e Construindo Saberes é a REDFEIAL – Rede de Formadores em Educação e Interculturalidade na América Latina (www.redfeial.org) – que, tem por meta, promover espaços de reflexão, análise e troca de experiências no campo da educação intercultural, onde pesquisadores, especialistas e profissionais têm a possibilidade de dialogar, discutir e compartilhar suas descobertas.

O resultado destas articulações aumenta o potencial da RACS em significativos intercâmbios de ideias, conhecimentos, culturas, línguas. Agregado ao princípio de inovação das ciências encontra-se o de compartilhamento de saberes e experiências que visa desmanchar o domínio de um saber sobre os outros. Essa é a grande celebração da Revista. Por isso, ela aceita, em sua composição, uma ampla diversidade de textos e línguas, abrindo espaço, de maneira especial, para o plurilinguísmo e para as línguas indígenas, em sua plenitude, buscando tirá-las da lista da extinção, conforme revelam muitas pesquisas científicas.

Em outras palavras, a RACS aceita artigo em línguas indígenas de toda a Ameríndia, o que a faz inaugural na adoção de políticas de publicação em línguas indígenas, no Brasil. Desse modo, tem favorecido a retomada de saberes indígenas apagados, escondidos, em muitas memórias de sábios e sábias que, ao longo do tempo, vão ficando perdidos, entre as gerações. Este feito é possível pela circulação da Revista nas comunidades indígenas, movimento que tem provocado muitos debates, lembranças culturais e contação de muitas histórias. A Articulando e Construindo Saberes percorre, portanto, diferentes trilhas.  Traz, em seu destino, a incessante busca por espaços de diálogos entre as epistemologias do Sul e as Ameríndias.

Com isso, o seu propósito de articulação de saberes é fortalecido no acolhimento das diferenças para, construirmos juntos/as, bases epistêmicas elaboradas em processos de coteorização, inaugurando, neste diálogo, diversos marcos epistêmicos.Adotamos, a partir de 2019, o sistema de publicação em fluxo contínuo. Na prática, isso significa que, à medida que um artigo esteja pronto e editorado, ele seja publicado. Esta ação segue as tendências internacionais de publicações científicas e agiliza a divulgação.