Autoleitura, autocrítica, autocomposição:

Nietzsche leitor de si

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v28i1.76120

Palavras-chave:

Nietzsche, Nascimento da Tragédia, vivência, leitura.

Resumo

Meu objetivo neste artigo é investigar duas autoleituras que Nietzsche faz do Nascimento da tragédia (1872), a do prefácio póstumo Tentativa de Autocrítica (1886), e a da sessão dedicada à obra em Ecce Homo (1888), a fim de compreender alguns de seus expedientes de autoleitura, autocrítica e autocomposição. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Bazilio Dalla Vecchia, Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, ricardovecchia@gmail.com

Doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas, com estágio de pesquisa (doutorado sanduíche) na Ernst Moritz Arndt Universität Greifswald, Alemanha. Atualmente é professor da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal de Goiás. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em filosofia moderna e contemporânea, atuando principalmente nos seguintes temas: filosofia alemã, Nietzsche, ética e teoria do conhecimento. Pesquisador do Grupo de pesquisa Crítica e Modernidade (CriM), da UNICAMP. 

Downloads

Publicado

28-06-2023

Como Citar

DALLA VECCHIA, R. B. Autoleitura, autocrítica, autocomposição: : Nietzsche leitor de si. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 28, n. 1, 2023. DOI: 10.5216/phi.v28i1.76120. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/76120. Acesso em: 25 fev. 2024.