A abstração matemática de Tomás de Aquino

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v27i1.71895

Resumo

O presente artigo é voltado à recepção da questão matemática na filosofia aristotélica de Tomás de Aquino. O Comentário ao tratado da Trindade de Boécio é o texto de Tomás que permite uma maior reflexão deste tema. Particularmente, a geometria era o paradigma de prática matemática. Ora, tanto na demonstração quanto na definição matemática, o conceito de forma é central, daí a denominação abstração da forma. A tese principal do artigo é que a abstração matemática necessita produzir uma definição claramente expressa, diferentemente da definição natural, que admite uma etapa confusa de apreensão conceitual. O conceito de forma é patente em função da chamada demonstração por causalidade formal, processo demonstrativo próprio da ciência matemática e dependente da definição claramente produzida. Por outro lado, a demonstração própria da ciência natural pressupõe a relação móvel de causa e efeito, podendo se basear em conceitos mais confusos. Por fim, abordo os conceitos de abstração da forma e de matéria inteligível à luz dessa análise do uso do conceito de forma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-08-29

Como Citar

OLIVEIRA DA SILVA, M. A. A abstração matemática de Tomás de Aquino. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 27, n. 1, 2022. DOI: 10.5216/phi.v27i1.71895. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/71895. Acesso em: 3 fev. 2023.