Matematização da natureza, mundo da vida e crise da razão em Husserl

Autores

  • Scheila Cristiane Thomé Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil, thome.scheila@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v26i2.69009

Resumo

O objetivo central deste artigo é explicitar o aspecto subjetivo-relativo como sendo o constituinte essencial da estrutura do mundo da vida (Lebenwelt) na obra A crise das ciências europeias e a fenomenologia transcendental de Husserl. Para tanto será analisado, num primeiro momento, em que consiste a crise das ciências europeias diagnosticada por Husserl e como se deu o processo de matematização da natureza que configura a orientação científica objetivista. Por fim, será possível analisar a estrutura subjetiva-relativa do mundo da vida compreendido como o solo da experiência intuível imediata.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2022-07-12

Como Citar

THOMÉ, S. C. Matematização da natureza, mundo da vida e crise da razão em Husserl. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 26, n. 2, 2022. DOI: 10.5216/phi.v26i2.69009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/69009. Acesso em: 25 set. 2022.

Edição

Seção

Dossiê de Artigos Originais