Podem ações morais serem belas? Sobre a possibilidade de uma estética moral a partir de David Hume

Autores

  • Daniel de Vasconcelos  Costa Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil, danieldevcosta@gmail.com https://orcid.org/0000-0001-9724-8229

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v25i2.64466

Resumo

O presente artigo tem como objetivo defender a possibilidade da existência da beleza moral a partir da teoria moral e estética de David Hume. A relação entre a estética e a moralidade será analisada, na primeira parte. A hipótese da beleza moral será colocada como uma destas possíveis relações. Dentro das possibilidades de se fundamentar a beleza moral, será argumentado que a melhor seria através da compreensão humeana da estética e da moralidade. A segunda parte do artigo analisa o conceito de experiência estética e a sua importância para a fundamentação humeana da beleza moral. Por fim, a teoria moral e estética proposta por Hume será desenvolvida a fins de demonstrar como a sua teoria moral e estética possuem uma relação intrínseca que possibilitaria a confirmação da hipótese da beleza moral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

12-08-2021

Como Citar

Costa, D. de V. (2021). Podem ações morais serem belas? Sobre a possibilidade de uma estética moral a partir de David Hume. Philósophos - Revista De Filosofia, 25(2). https://doi.org/10.5216/phi.v25i2.64466