ARISTÓTELES E A NOÇÃO DE SUJEITO DE PREDICAÇÃO (SEGUNDOS ANALÍTICOS I 22, 83A 1-14)

Autores

  • Lucas Angioni Unicamp

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v12i2.6266

Palavras-chave:

Ontologia, Semântica, Predicação, Essencialismo, Substância, Categorias.

Resumo

Meu objetivo neste artigo consiste em explorar alguns aspectos da noção de sujeito de predicação em Aristóteles. Mais precisamente, pretendo examinar o argumento que Aristóteles desenvolve em Segundos Analíticos I 22, 83a 1-14, no qual podemos encontrar alguns dos requisitos pelos quais Aristóteles delimita a noção de sujeito de predicação. Pretendo mostrar de que modo a noção de sujeito proposta por Aristóteles nesse argumento é bem distinta da noção de sujeito proposta no tratado das Categorias, embora ambas as noções estejam longe de ser incompatíveis entre si. Finalizarei o artigo com algumas considerações filológicas que, entre outras coisas, elucidam minhas razões para a tradução de “hypokeimenon” como “sujeito” ou como “algo subjacente”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Angioni, Unicamp

Possui graduação em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1994), mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1996) e doutorado em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (2000). Atualmente é professor da Universidade Estadual de Campinas, na área de História da Filosofia Antiga (sobretudo Platão e Aristóteles), atuando principalmente nos seguintes temas: metafísica, teoria da predicação, ética e teoria das explicações científicas.

Downloads

Publicado

13-06-2009

Como Citar

ANGIONI, L. ARISTÓTELES E A NOÇÃO DE SUJEITO DE PREDICAÇÃO (SEGUNDOS ANALÍTICOS I 22, 83A 1-14). Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 12, n. 2, 2009. DOI: 10.5216/phi.v12i2.6266. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/6266. Acesso em: 24 jul. 2024.