ALGUMA LUZ PARA O FUNDACIONISMO?

Autores

  • Eros Moreira Carvalho UFPR

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v13i1.5773

Palavras-chave:

fundacionismo, justificação, falibilismo.

Resumo

O fundacionista precisa lidar com dois problemas fundamentais: (i) explicar como um item justificador provê justificação sem ele mesmo precisar de justificação e (ii) determinar o estatuto epistêmico do item justificador básico. Burdzinksi (Burdzinski 2007), na mesa linha de Sellars e Bonjour, argumenta que a experiência perceptiva não tem como ser uma  resposta ao primeiro problema, pois, se o seu conteúdo não for proposicional, ela não provê justificação, e se for, ela tanto provê quanto carece de justificação. Minha proposta é que a experiência perceptiva justifica em virtude da sua natureza representacional. O ato de tomar o conteúdo de uma percepção pelo seu valor de face está justificado até que haja uma razão em contrário, ou seja, este ato está justificado prima facie.  Isto nos força a responder o segundo problema afirmando que o justificador básico não é infalível. Esta resposta falibilista desagrada ao cético, mas é a melhor resposta fundacionista ao regresso epistêmico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eros Moreira Carvalho, UFPR

Filosofia. Áreas de interesse: epistemologia, lógica, filosofia da matemática, filosofia da linguagem, filosofia da mente.

Downloads

Publicado

18-11-2009

Como Citar

CARVALHO, E. M. ALGUMA LUZ PARA O FUNDACIONISMO?. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 35–65, 2009. DOI: 10.5216/phi.v13i1.5773. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/5773. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais