A questão dos refugiados e a ideia de pertencimento ao mundo em Hannah Arendt

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v23i1.53031

Palavras-chave:

Mundo, Refugiados, Direitos, Hannah Arendt

Resumo

Ao discorremos sobre o pertencimento ao mundo e a questão dos refugiados em Hannah Arendt, buscamos trazer a lume uma discussão enfrentada pela autora no século passado, mas que se torna atual, haja vista a conjuntura mundial hodierna. Nosso problema focou a seguinte questão: é possível um mundo sem acolhimento dos seres humanos e de suas relações? Ao nos indagarmos sobre isto, enfrentamos o papel do direito internacional frente à questão, sobretudo, no que concerne à tensão entre direitos humanos e soberania. Para Hannah Arendt, ocorreu uma flagrante incapacidade dos direitos humanos e, do direito, como lei para proteger e resguardar os apátridas e os refugiados. Neste contexto, as categorias de mundo e de refugiado emergem como categorias analíticas para compreendermos a ideia de pertencimento. Ainda nessa esteira, buscamos esclarecer o conceito de mundo em Hannah Arendt para melhor construção de nossa argumentação. Elegemos como metodologia a exegese textual, já consagrada nos estudos filosóficos. Destacamos como corpus central de nossa discussão a obra Escritos judaicos e, em especial, os textos Nós os refugiados (1943) e A Condição Humana (1958).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo George de Araujo Silva, Universidade Estadual Vale do Acaraú, Sobral, Ceará, Brasil, ricardogeo11@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

07-08-2018

Como Citar

GEORGE DE ARAUJO SILVA, R. A questão dos refugiados e a ideia de pertencimento ao mundo em Hannah Arendt. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 23, n. 1, p. 377–414, 2018. DOI: 10.5216/phi.v23i1.53031. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/53031. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê de Artigos Originais