Fusão de horizontes: um caminho para a universalidade?

  • Odair Camati Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Erechim
Palavras-chave: Fusão de Horizontes. Charles Taylor. Universalidade

Resumo

O trabalho se propõe a analisar em que medida a fusão de horizontes desenvolvida por Charles Taylor pode abrir espaço para uma universalização de princípios normativos nos debates multiculturais. Nas sociedades contemporâneas se impõe a discussão em torno do multiculturalismo e, consequentemente, de que forma seria possível reconhecer as mais diversas culturas sem abrir mão de princípios normativos que serviriam como critério de avaliação das próprias práticas culturais. Uma resposta possível apresentada por Taylor afirma que uma verdadeira fusão de horizontes permitiria uma compreensão adequada entre as culturas possibilitando que houvesse reconhecimento mútuo, além do estabelecimento de princípios mínimos aceitos e respeitados por todos os membros do processo de fusão. O grande questionamento que emerge nesse ínterim é: como garantir que, de fato, ocorra uma fusão de horizontes? Nesse sentido, quais as condições de possibilidade para que todas as culturas efetivamente alcancem uma compreensão mútua? Caminhamos na direção de defender que a fusão de horizontes é dependente de uma série de condições ideais que dificilmente poderão se efetivar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Odair Camati, Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Erechim
Doutor em Filosofia pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia na Universidade do Vale do Rio dos Sinos. Professor substituto na Universidade Federal da Fronteira Sul. Campus Erechim.
Publicado
05-02-2020
Como Citar
Camati, O. (2020). Fusão de horizontes: um caminho para a universalidade?. Philósophos - Revista De Filosofia, 24(2). https://doi.org/10.5216/phi.v24i2.52362
Seção
Artigos Originais