A NATUREZA COMO FATO POLITICAMENTE DECISÓRIO: POLÊMICAS SOBRE OS DIREITOS HUMANOS

Autores

  • Sertório de Amorim e Silva Neto Universidade de São Paulo - USP e Universidade Federal de Uberlândia - UFU

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v13i1.4869

Palavras-chave:

Estado liberal, totalitarismo, moral

Resumo

O artigo investiga o contexto de origem e algumas polêmicas acerca dos direitos humanos. Seu intento é apresentar o paradoxo destes direitos, o fato de que eles, não obstante sirvam à emancipação política moderna e à defesa da igualdade e da liberdade, impliquem ainda o egoísmo burguês e os regimes totalitários.Objeto da especulação dos filósofos e mais atualmente das ciências positivistas, o conceito de natureza é bastante ambíguo, assumindo tanto a forma metafísica e sublime, quanto a forma de coisa, natureza bruta e corruptível. O que se deseja discutir neste artigo são os reflexos políticos da assimilação de um conceito tão abstrato e indeterminado como o de natureza humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sertório de Amorim e Silva Neto, Universidade de São Paulo - USP e Universidade Federal de Uberlândia - UFU

possui graduação em Filosofia pela Universidade Federal de Uberlândia (1999) e mestrado em Filosofia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Atualmente é doutorando em filosofia pela Universidade de São Paulo e professor do Departamento de Filosofia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). É membro do GT ANPOF- Filosofia da História e Modernidade e do Grupo de Estudo da Filosofia de Giambattista Vico. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia da Educação, Teoria do Conhecimento e Filosofia Social e Política, atuando principalmente nos seguintes temas: Giambattista Vico, Max Horkheimer, história da filosofia contemporânea e história da filosofia moderna.

Downloads

Publicado

15-11-2009

Como Citar

DE AMORIM E SILVA NETO, S. A NATUREZA COMO FATO POLITICAMENTE DECISÓRIO: POLÊMICAS SOBRE OS DIREITOS HUMANOS. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 149–174, 2009. DOI: 10.5216/phi.v13i1.4869. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/4869. Acesso em: 16 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais