Roupnel e Bachelard: devaneios e espacialidades geopoéticas

Autores

  • Gabriel Kafure da Rocha Instituto Federal do Sertão Pernambucano

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v24i2.47851

Palavras-chave:

geopoética, espaço, tempo, energia

Resumo

A presente investigação pretende defender a ideia, como homenagem após os 60 anos da morte de Gaston Roupnel (1871-1946), de que há uma influência que vai além da noção de Instante como descontinuidade sobre Bachelard (1884-1962). Por essa via, a virada da filosofia bachelardiana para a crítica literária e poética perpassa uma cosmovisão influênciada por Roupnel em Siloë (obra muito rara, geralmente citada indiretamente e ainda não traduzida para o português). Ao ter acesso direto a esse texto percebe-se que ali se dá um recomeço, uma nova ontogênese da vida para a ideia de devaneios espaciais de uma perspectiva que une duração e instante, espaço e tempo. Nesse sentido, pretendemos desvelar a influência roupneliana sobre Bachelard por fora de A intuição do instante, no intuito de demonstrar a hipótese que foi a partir de Siloë que se abre o espaço para o devaneio bachelardiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Kafure da Rocha, Instituto Federal do Sertão Pernambucano

Doutorando em Filosofia pela UFRN, Mestre em Filosofia pela UFPI e Especialista em Metodologia do Ensino Superior pela UFMA

Downloads

Publicado

26-03-2020

Como Citar

DA ROCHA, G. K. Roupnel e Bachelard: devaneios e espacialidades geopoéticas. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 24, n. 2, 2020. DOI: 10.5216/phi.v24i2.47851. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/47851. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais