O porquê da ausência do sobrenatural na ciência contemporânea: nem apriorismo, nem ateísmo, nem cientismo

Autores

  • Adilson Alciomar Koslowski Universidade Federal de Sergipe, Centro de Educação de Ciências Humanas, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, adilsonkoslowski@yahoo.com.br

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v23i1.47529

Palavras-chave:

Sobrenatural, Ciência, Explicação, Cientismo

Resumo

As relações entre ciência e religião são complexas. Um dos problemas que se apresentam dizem respeito a por que não constam, na ciência e na história moderna, referências e explicações que apelem a entidades como Deus, anjos e demônios. Duas respostas – entre outras – podem ser dadas ao problema. A primeira é que, dada a natureza da ciência, o sobrenatural está excluído a priori de seu meio. A segunda é que a ciência não contém explicações sobrenaturais, a posteriori, porque tais explicações não se mostraram adequadas durante o desenvolvimento da ciência moderna. Contudo, se não há nenhum impedimento a priori para as explicações sobrenaturais na ciência, sustentaremos, seguindo os argumentos de Dawes (2009; 2011) e Schick (2000), que a melhor resposta ao problema parece ser a solução a posteriori. Porém, discordamos que sustentar tal posição acarrete o cientismo. Contra o cientismo seguimos os argumentos de Feser (2014).

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Alciomar Koslowski, Universidade Federal de Sergipe, Centro de Educação de Ciências Humanas, São Cristóvão, Sergipe, Brasil, adilsonkoslowski@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

07-08-2018

Como Citar

ALCIOMAR KOSLOWSKI, A. O porquê da ausência do sobrenatural na ciência contemporânea: nem apriorismo, nem ateísmo, nem cientismo. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 23, n. 1, p. 15–41, 2018. DOI: 10.5216/phi.v23i1.47529. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/47529. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais