Literalidade e metáfora na filosofia de Gilles Deleuze: uma via bergsoniana

Autores

  • Christian Fernando Fernando Ribeiro Guimarães Vinci Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, São Paulo, Brasil, christian.guimaraes.vinci@gmail.com

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v23i1.43220

Palavras-chave:

Gilles Deleuze, Literalidade, Metáfora, Henri Bergson

Resumo

Este artigo objetiva pensar o debate envolvendo a questão da literalidade na obra de Gilles Deleuze, mormente naquela escrita em parceria com Félix Guattari, a partir de um recuo pelo pensamento do filósofo Henri Bergson. Apresentada como um modo singular de operar com a escrita, a literalidade deleuze-guattariana exigiria que determinadas formulações, mormente aquelas de teor imagético fossem lidas ao pé da letra (a la lettre) ao invés de interpretadas como metáforas. Tendo adentrado em nosso país por meio do dossiê Entre Deleuze e a Educação, publicado em 2005 no periódico Educação & Sociedade, a questão da literalidade fomentou uma discussão acalorada, nomeadamente no campo educacional – dado o fato de um dos participantes, François Zourabichvili, propor uma pretensa teoria de ensino deleuzeana a partir dessa noção. Longe de querer encerrar tal debate, almejamos pensá-lo sob a égide do pensamento bergsoniano, a fim de propor um escape do binarismo estabelecido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Christian Fernando Fernando Ribeiro Guimarães Vinci, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, São Paulo, Brasil, christian.guimaraes.vinci@gmail.com

Downloads

Publicado

07-08-2018

Como Citar

FERNANDO RIBEIRO GUIMARÃES VINCI, C. F. Literalidade e metáfora na filosofia de Gilles Deleuze: uma via bergsoniana. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 23, n. 1, p. 43–74, 2018. DOI: 10.5216/phi.v23i1.43220. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/43220. Acesso em: 17 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais