INTERNALISMO E NÃO-COGNITIVISMO EM ÉTICA

Autores

  • Gilson Diana Unb
  • André Cerri UnB
  • Cláudio Reis UnB

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v8i2.3212

Resumo

Este texto tem a intenção de percorrer panoramicamente alguns pontos de referência importantes no debate contemporâneo sobre o problema da motivação moral no contexto da discussão entre posições cognitivistas e não-cognitivistas em ética. A idéia básica é a de que o não-cognitivismo encontrou tradicionalmente um apoio importante nos argumentos internalistas, os quais, por sua vez, retiram sua força da percepção comum de que as considerações morais não são inertes, ou seja, possuem, em algum sentido, uma capacidade motivadora que dificilmente podemos ignorar. Se, agora, quisermos confrontar a posição não-cognitivista, inevitavelmente seremos levados a confrontar-nos também com os argumentos internalistas. O que tentamos fazer aqui foi simplesmente apresentar panoramicamente os problemas e as alternativas que podemos encontrar ao longo desses enfrentamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gilson Diana, Unb

Departamento de Filosofia, UnB. Ética

André Cerri, UnB

Departamento de Filosofia, UnB. Ética

Cláudio Reis, UnB

Departamento de Filosofia, UnB. Ética e Filosofia Política

Downloads

Publicado

23-01-2008

Como Citar

DIANA, G.; CERRI, A.; REIS, C. INTERNALISMO E NÃO-COGNITIVISMO EM ÉTICA. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 8, n. 2, 2008. DOI: 10.5216/phi.v8i2.3212. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/3212. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais