VERSÕES DA "TRANSCENDÊNCIA NA IMANÊNCIA" NA FENOMENOLOGIA DE EDMUND HUSSERL

Autores

  • Carlos Diógenes Côrtes Tourinho Universidade Federal Fluminense - UFF (Niterói-RJ) Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal Fluminense (PFI/UFF)

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v17i2.19386

Palavras-chave:

Fenomenologia, Edmund Husserl, transcendência, imanência

Resumo

O presente artigo aborda a idéia de uma “transcendência na imanência” na fenomenologia de Husserl. Mostra-nos que o exercício do método fenomenológico em relação à posição de existência dos fatos impõe-nos uma variação do “transcendente” em Husserl. Concebido inicialmente como fonte de dúvidas e incertezas, o transcendente se revela, num segundo momento, na imanência da subjetividade transcendental: a coisa em sua doação originária. Destaca-se, assim, a polaridade entre o eu puro e o objeto intencional. O artigo mostra-nos que tal objeto oscila entre o caráter imanente do noema e o que transcende o próprio noema. Por fim, revela-nos ainda que o eu puro é uma transcendência na imanência peculiar, uma transcendência ambivalente, pois, ao constituir o objeto, se auto-constitui.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Diógenes Côrtes Tourinho, Universidade Federal Fluminense - UFF (Niterói-RJ) Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal Fluminense (PFI/UFF)

Doutor em Filosofia pela PUC-Rio. Professor Adjunto III da Faculdade de Educação e do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Universidade Federal Fluminense (PFI/UFF). Membro do GT de Fenomenologia e do GT de Filosofia Francesa Contemporânea da ANPOF.

Downloads

Publicado

27-02-2013

Como Citar

TOURINHO, C. D. C. VERSÕES DA "TRANSCENDÊNCIA NA IMANÊNCIA" NA FENOMENOLOGIA DE EDMUND HUSSERL. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 17, n. 2, p. 107–130, 2013. DOI: 10.5216/phi.v17i2.19386. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/19386. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais