MOSTRAR E DIZER CONTRA A NOVA LEITURA

Autores

  • Bernardo Alonso Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.5216/phi.v15i2.12971

Palavras-chave:

Tractatus, mostrar, dizer, analiticidade, contingência, independência

Resumo

O objetivo deste trabalho é salvaguardar a distinção dizer / mostrar da leitura New Wittgenstein, a qual defende, entre outras coisas, que o Tractatus contém apenas linhas de puro nonsense. O autor apresenta uma breve exposição do sistema de linguagem do Tractatus. Depois tenta inter-relacionar três teses centrais, a tese da Analiticidade, a tese da Independência e a tese da Contingência como unificadas pela Teoria da Figuração. Esta fornece uma explicação para uma proposição elementar, sujeita à restrição de que uma proposição deve mostrar o seu sentido. Este artigo reconhece (sem avaliar) as objeções do segundo Wittgenstein, mas reconhece também que tais objeções referem-se a teses filosóficas, não puro nonsense. hilosophical theses, not to pure nonsense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardo Alonso, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutorando em filosofia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com doutorado sanduíche no grupo de filosofia da informação das universidades de Oxford e Hertfordshire.

Downloads

Publicado

2011-04-07

Como Citar

ALONSO, B. MOSTRAR E DIZER CONTRA A NOVA LEITURA. Philósophos - Revista de Filosofia, Goiânia, v. 15, n. 2, p. 129–160, 2011. DOI: 10.5216/phi.v15i2.12971. Disponível em: https://revistas.ufg.br/philosophos/article/view/12971. Acesso em: 6 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos Originais