Produção de feijão vagem oriunda de sementes tratadas com Bacillus subtilis

Autores

  • Helio Fernandes Ibanhes Neto
  • Gustavo Henrique Freiria
  • Ananda Covre da Silva
  • Raissa Marrafon Ponce
  • Lúcia Sadayo Assari Takahashi

Resumo

A velocidade e a sanidade no estabelecimento de plântulas a campo são imprescindíveis para a obtenção de um estande final adequado e para a produtividade em um cultivo agrícola, os quais podem ser melhorados por técnicas baseadas no tratamento de sementes. Objetivou-se verificar a influência do tratamento de sementes de feijão vagem com doses de Bacillus subtilis sobre o desenvolvimento e componentes de produção da cultura. Foram utilizadas sementes de tipo determinado. Utilizou-se esquema fatorial 4 x 4 + 1, sendo quatro tratamentos de sementes (peliculização com e sem secagem, pré-embebição e biopriming), quatro doses de produto comercial (p. c.) à base de B. subtilis (0; 7; 14; e 28 mL p.c. kg-1 de semente) e uma testemunha absoluta. As variáveis analisadas foram teor de água de sementes, emergência de plântulas, comprimento, largura e área foliar, altura de plantas e de primeira vagem na colheita, número de trifólios e de vagens, comprimento e número de grãos por vagem, massa de matéria fresca e seca de vagens. Os tratamentos de pré-embebição e biopriming foram iguais ou superiores à testemunha absoluta. A associação desses tratamentos com doses de 7-14 mL p.c. kg-1 para pré-embebição e de 0-28 mL p.c. kg-1 para biopriming favorece tanto as características avaliadas no período reprodutivo, como os componentes de rendimento de feijão vagem.

PALAVRAS-CHAVE: Phaseolus vulgaris L., biopriming, rizobactérias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06-11-2023

Como Citar

IBANHES NETO, H. F.; FREIRIA, G. H.; SILVA, A. C. da; PONCE, R. M.; TAKAHASHI, L. S. A. Produção de feijão vagem oriunda de sementes tratadas com Bacillus subtilis. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 53, p. e76324, 2023. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/76324. Acesso em: 29 fev. 2024.

Edição

Seção

Suplemento Especial: Bioinsumos na Agricultura