Potencial agronômico e indicações para o melhoramento genético de variedades locais de milho doce portadoras do gene sugary1

Autores

  • Rosenilda de Souza Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia, Florianópolis, SC, Brasil.
  • Juliana Bernardi Ogliari Universidade Federal de Santa Catarina https://orcid.org/0000-0003-2644-3179
  • Rose Mari Seledes Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia, Florianópolis, SC, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8893-7281
  • Otávio Rechsteiner Maghelly Universidade Federal de Santa CatarinaUniversidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Fazenda Experimental da Ressacada, Florianópolis, SC, Brasil.
  • Francisco Wilson Reichert Júnior Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia, Florianópolis, SC, Brasil.

Resumo

Variedades locais de milho doce (Zea mays L.) representam importante fonte de genes para programas de melhoramento, especialmente em modelos de pesquisa participativa. Avaliou-se o desempenho agronômico de sete variedades locais de milho doce (2255A, 2029A, 2276A, 2514A, 3000A, 741B e 319A) portadoras do gene sugary1 na condição homozigótica e duas testemunhas, em quatro ambientes [Anchieta (altitudes: 422 e 717 m), Guaraciaba (altitude: 624 m) e Florianópolis (altitude: 5 m)], no estado de Santa Catarina. As variedades 3000A e 319A apresentaram bom desempenho nas diferentes altitudes para comprimento de espiga e de grão e rendimento de espiga. Em altitudes intermediárias (422 e 624 m), as médias de rendimento de espiga sem palha (grão leitoso) destas variedades ficaram próximas a 12,5 t ha-1 (3000A) e 10,0 t ha-1 (319A). As variedades 2029A, 741B, 2514A, 2276A e 2255A destacaram-se pelo comprimento e diâmetro da espiga, número de fileiras da espiga e comprimento do grão. O melhor desempenho das variedades locais de milho doce foi observado em sua região de origem, especialmente nas altitudes entre 400 e 650 m. Essas variedades são adaptadas à região e são alternativas promissoras para utilização em programas de melhoramento que visam à obtenção de maior variabilidade potencial para a seleção.

PALAVRAS-CHAVE: Zea mays L., milho verde, conservação “on farm”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

25-10-2021

Como Citar

SOUZA, R. de .; OGLIARI, J. B. .; SELEDES, R. M.; MAGHELLY, O. R.; REICHERT JÚNIOR, F. W. . Potencial agronômico e indicações para o melhoramento genético de variedades locais de milho doce portadoras do gene sugary1. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 51, p. e69486, 2021. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/69486. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico