Morfogênese in vitro de Physalis ixocarpa Brot ex. Horm.

Autores

Resumo

Physalis ixocarpa Brot. ex Horm. é considerada a espécie economicamente mais importante do gênero. A cultura de tecidos é apontada como uma estratégia para a sua propagação; no entanto, pesquisas indicam que as respostas in vitro são genótipo-dependentes. Objetivou-se avaliar a morfogênese in vitro das variedades verde e roxa de P. ixocarpa, tendo-se em vista a propagação massiva da espécie. A capacidade morfogênica dos explantes nó cotiledonar, hipocótilo e cotilédone foi avaliada em meio Murashige & Skoog suplementado com benzilaminopurina - BAP (0,00; 2,5; 5,0; 7,5; ou 10,0 µM) e ácido naftalenoacético - ANA (0,00 ou 2,5 μM), utilizando-se delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 3 x 5 x 2, sendo 30 tratamentos para cada variedade. Foram analisados o número de brotos por organogênese direta e indireta e a porcentagem de explantes com calo. A expressão morfogenética in vitro de P. ixocarpa é influenciada pelo tipo de explante e pelos reguladores vegetais BAP e ANA. O explante nó cotiledonar é eficiente para a produção de brotos via organogênese direta nas duas variedades estudadas.

PALAVRAS-CHAVE: Solanaceae, tomate de cáscara, propagação de plantas, cultura de tecidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-11-2021

Como Citar

ZAGAL ALVARADO, D.; LIMA, A.; SANTANA, R. F. de; LIMA-BRITO, A. Morfogênese in vitro de Physalis ixocarpa Brot ex. Horm. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 51, p. e69416, 2021. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/69416. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico