Regeneração in vitro de brotações em Myracrodruon urundeuva Fr. All.

Autores

Resumo

Myracrodruon urundeuva Fr. All. é uma árvore ameaçada de extinção, que possui potencial madeireiro e medicinal. Objetivou-se estudar a regeneração de brotos in vitro de M. urundeuva, visando aumentar a porcentagem de multiplicação da espécie. Foram realizados dois experimentos: 1) concentrações de 6-benzilaminopurina (BAP) (0,0; 2,0; 4,0; 8,0; e 16,0 µM), combinadas com ácido naftalenoacético (ANA) (0,0; 1,5; e 3,0 µM) em explantes (cotilédone, hipocótilo e nó cotiledonar); 2) concentrações de meta-topolina (mT) (0,0; 2,0; 4,0; 8,0; 16,0; e 32,0 µM) sob explantes (segmento nodal basal biaxilar, mediano uniaxilar e apical). Avaliaram-se a porcentagem de explantes responsivos para regeneração de brotações, porcentagem de explantes que formaram calos, número de brotos e comprimento da parte aérea. No primeiro experimento, observou-se regeneração de brotações apenas nos explantes do tipo nó cotiledonar e hipocótilo, sendo a maior porcentagem (76,67 %) de responsividade e número de brotos (1,97 e 1,63) obtidos com o nó cotiledonar na presença de 3,0 µM de ANA, combinado com 2,0 (1,97 brotos/explante) e 4,0 µM (1,63 brotos/explante) de mT. No segundo experimento, a resolução da equação quadrática obtida indica que o maior número de brotos (1,86) é alcançado utilizando-se o explante basal com 24,59 µM de mT adicionado ao meio de cultura. No entanto, apesar de a mT ter elevado o número médio de brotações, observou-se formação de calos em todos os tratamentos contendo essa citocinina. Conclui-se que é possível regenerar brotações em M. urundeuva a partir do nó cotiledonar com o uso de BAP combinado com ANA.

PALAVRAS-CHAVE: Aroeira-do-sertão, cultivo in vitro, planta medicinal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-09-2021

Como Citar

SILVA, T. dos S.; CARVALHO FILHO, R. S. L.; FONSECA , P. T. .; SANTANA, J. R. F. de. Regeneração in vitro de brotações em Myracrodruon urundeuva Fr. All. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 51, p. e69269, 2021. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/69269. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico