Teste de viabilidade de sementes de orquídeas nativas do Cerrado brasileiro

Autores

Resumo

Um fator essencial para a formação de um banco de sementes de orquídeas nativas é a identificação da viabilidade das sementes armazenadas. Objetivou-se determinar uma metodologia para a otimização do teste de tetrazólio, na identificação da viabilidade de sementes armazenadas de duas espécies medicinais de Orchidaceae nativas do Cerrado. Sementes de Miltonia flavescens Lindl. e Schomburgkia crispa Lindl. foram submetidas a três pré-condicionamentos: sem embebição (controle), solução de sacarose ou água destilada. Em seguida foram submetidas a solução de tetrazólio, com três tipos de condicionamento: estufa, banho maria ou temperatura ambiente. As sementes de M. flavescens apresentaram germinação de 86,91 % e, quando submetidas ao pré-condicionamento com sacarose + condicionamento em estufa, mostraram maior porcentagem de sementes viáveis (62,32 %). Já para S. crispa, a germinação foi de 97,78 % e observou-se maior porcentagem de sementes viáveis no tratamento controle + temperatura ambiente (89,49 %). Esses resultados sugerem que, em Orchidaceae, protocolos específicos devem ser utilizados na condução do teste de tetrazólio e, ainda, a realização do teste de maneira amostral deve ser utilizada apenas para a indicação da viabilidade das sementes.

PALAVRAS-CHAVE: Miltonia flavescens Lindl., Schomburgkia crispa Lindl., Orchidaceae.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

23-04-2021

Como Citar

SCHULTZ SOARES, J. .; SORGATO, J. C.; RIBEIRO, L. M. .; RAMOS, J. M. C. . Teste de viabilidade de sementes de orquídeas nativas do Cerrado brasileiro. Pesquisa Agropecuária Tropical, [S. l.], v. 51, p. e67069, 2021. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/67069. Acesso em: 19 out. 2021.

Edição

Seção

Suplemento Especial: Cerrado