ARMAZENAMENTO DE CRISÂNTEMOS DE CORTE A DIFERENTES TEMPERATURAS

Autores

  • Marcos Vieira
  • Brígida Souza

Palavras-chave:

Dendranthema grandiflora, cultivar, conservação

Resumo

Este trabalho objetivou avaliar a qualidade pós-colheita de crisântemos ‘Yoko ono’ e ‘Statesman’, armazenados a diferentes temperaturas. O experimento foi conduzido em estufa plástica, no município de Cordeirópolis, Estado de São Paulo (22º28’55”S, 47º27’24”W e 668 m de altitude). As inflorescências foram mantidas às temperaturas de 1,5°C; 2,5°C; e 5,0°C. Os parâmetros avaliados foram flores senescentes e lígulas escurecidas. As avaliações foram feitas após a saída da câmara, aos 4, 8 e 12 dias, à temperatura ambiente. Para avaliação da senescência, observou-se que as flores de crisântemo ‘Yoko ono’, armazenadas a 2,5°C e 5,0°C, tiveram este processo acelerado, enquanto, para o crisântemo ‘Statesman’, a incidência foi maior a 1,5°C. Na avaliação das lígulas de crisântemo ‘Yoko ono’ e ‘Statesman’, observou-se que a temperatura de 1,5°C favoreceu o desenvolvimento do escurecimento.

PALAVRAS-CHAVE: Dendranthema grandiflora; cultivar; conservação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-12-2009

Como Citar

VIEIRA, M.; SOUZA, B. ARMAZENAMENTO DE CRISÂNTEMOS DE CORTE A DIFERENTES TEMPERATURAS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 4, p. 356–359, 2009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/5304. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico