Efeito de manejos ecológico e convencional sobre atividades enzimáticas do solo em agroecossistemas cafeeiros

Autores

  • Johana Juliet Caballero Vanegas Universidad Libre, Centro de Investigaciones, Facultad de Ingeniería, Bogotá, Cundinamarca, Colombia, johanaj.caballerov@unilibrebog.edu.co https://orcid.org/0000-0003-1122-5419
  • Karen Bibiana Mejía Zambrano Universidad Libre, Centro de Investigaciones, Facultad de Ingeniería, Bogotá, Cundinamarca, Colombia, karenb.mejiaz@unilibrebog.edu.co https://orcid.org/0000-0003-0373-2752
  • Lizeth Manuela Avellaneda-Torres Universidad Libre, Centro de Investigaciones, Facultad de Ingeniería, Bogotá, Cundinamarca, Colombia, lmavellanedat@unal.edu.co https://orcid.org/0000-0002-8520-9123

Palavras-chave:

Urease, protease, ?-glucosidase, Fosfatase ácida e alcalina

Resumo

Compreender os impactos de práticas agrícolas sobre os indicadores de qualidade do solo, como atividades enzimáticas, é de grande importância para avançar no diagnóstico e no manejo sustentável. Objetivou-se avaliar o efeito dos manejos agrícolas ecológico e convencional sobre as atividades enzimáticas de um solo em agroecossistemas sob cultivo de cafeeiro. As atividades enzimáticas foram associadas aos ciclos biogeoquímicos do nitrogênio (urease e protease), fósforo (fosfatase ácida e alcalina) e carbono (?-glicosidase), durante as estações chuvosa e seca. Propriedades físico-químicas do solo também foram avaliadas e relacionadas a escores de resiliência vinculados à variabilidade climática reportada para as áreas em estudo. As atividades de urease, fosfatase alcalina e ácida e ß-glicosidase foram estatisticamente maiores nos agroecossistemas ecológicos do que nos convencionais. Isto pode ser atribuído à maior aplicação de resíduos orgânicos no manejo ecológico, bem como à ausência de pesticidas e fertilizantes sintéticos, o que possibilita melhores condições para a atividade microbiana. Os escores de resiliência à variabilidade climática que mostraram as maiores correlações com as atividades enzimáticas avaliadas foram: conhecimento dos agricultores sobre micro-organismos do solo, não uso de agrotóxicos e fertilizantes sintéticos e não dependência de insumos externos. Concluiu-se que as atividades enzimáticas são modificadas pelos sistemas de manejo, sendo especificamente favorecidas pelo manejo ecológico. Este agroecossistema, a longo prazo, assegura o uso eficiente dos recursos do solo, com menor degradação e contaminação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

30-11-2018

Como Citar

JULIET CABALLERO VANEGAS, J.; BIBIANA MEJÍA ZAMBRANO, K.; MANUELA AVELLANEDA-TORRES, L. Efeito de manejos ecológico e convencional sobre atividades enzimáticas do solo em agroecossistemas cafeeiros. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 48, n. 4, p. 420–428, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/52373. Acesso em: 24 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico