Crescimento de raiz e parte aérea de guar afetados pela compactação do solo

Autores

  • Doglas Bassegio Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná, Brasil, doglas.bassegio@gmail.com http://orcid.org/0000-0001-6628-8594
  • Marcos Vinicius Mansano Sarto Kansas State University, Department of Agronomy, Manhattan, Kansas, United States of America, marcos.sarto28@gmail.com http://orcid.org/0000-0002-7421-1869
  • Ciro Antonio Rosolem Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Faculdade de Ciências Agronômicas, Departamento de Agricultura, Botucatu, São Paulo, Brasil, rosolem@fca.unesp.br http://orcid.org/0000-0003-2001-0874
  • Jaqueline Rocha Wobeto Sarto Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Botucatu, São Paulo, Brasil, jaquelinerwsarto@gmail.com http://orcid.org/0000-0002-4944-7159

Palavras-chave:

Cyamopsis tetragonoloba L., resistência do solo à penetração, elongação radicular.

Resumo

O guar (Cyamopsis tetragonoloba L.) é comumente cultivado em terras áridas, por ser altamente tolerante à seca. No entanto, a compactação do solo pode ser um fator limitante ao seu cultivo. Objetivou-se avaliar o crescimento de guar, em função da resistência do solo à penetração (0,20 Mpa; 0,33 Mpa; 0,50 Mpa; 0,93 Mpa; e 1,77 Mpa, em camada com profundidade entre 0,15 m e 0,20 m), em Latossolo Vermelho Distroférrico. Avaliaram-se a massa seca da parte aérea e raiz, o comprimento radicular a partir do índice Q1/2 (resistência mecânica do solo à penetração na qual o crescimento radicular é reduzido à metade) e o diâmetro radicular. O crescimento da parte aérea de guar começa a ser prejudicado por resistência superior a cerca de 1 MPa. A compactação do solo altera a distribuição das raízes de guar no perfil do solo, concentrando-as na camada de 0,15 m, mas não impede que as raízes penetrem nessa camada e se desenvolvam em profundidade. O diâmetro de raiz aumenta na camada compactada. A resistência à penetração no solo de até 1,77 MPa não influencia na densidade de comprimento radicular abaixo da camada compactada, bem como na densidade de comprimento radicular total de guar. Embora o índice Q1/2 de guar seja superior a 1,58, a massa seca da parte aérea e da raiz são prejudicadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Doglas Bassegio, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, Paraná, Brasil, doglas.bassegio@gmail.com

Marcos Vinicius Mansano Sarto, Kansas State University, Department of Agronomy, Manhattan, Kansas, United States of America, marcos.sarto28@gmail.com

Ciro Antonio Rosolem, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Faculdade de Ciências Agronômicas, Departamento de Agricultura, Botucatu, São Paulo, Brasil, rosolem@fca.unesp.br

Jaqueline Rocha Wobeto Sarto, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp), Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Botucatu, São Paulo, Brasil, jaquelinerwsarto@gmail.com

Downloads

Publicado

06-07-2018

Como Citar

BASSEGIO, D.; VINICIUS MANSANO SARTO, M.; ANTONIO ROSOLEM, C.; ROCHA WOBETO SARTO, J. Crescimento de raiz e parte aérea de guar afetados pela compactação do solo. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 48, n. 2, p. 163–169, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/52189. Acesso em: 27 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico