Mirtileiros ‘Emerald’ e ‘Jewel’ cultivados em ausência de frio hibernal

Autores

  • Ricardo Bordignon Medina Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, ricardo.medina@usp.br
  • Tatiana Eugenia Cantuarias-Avilés Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, tatiana.cantuarias@gmail.com
  • Sérgio Figueiredo Angolini Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, sergio.angolini@usp.br
  • Simone Rodrigues da Silva Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, srsilva@usp.br

Palavras-chave:

Vaccinium spp., florescimento, frutificação, exigência de horas de frio.

Resumo

O clima é um fator limitante à expansão do cultivo de mirtileiro para novas áreas no Brasil, sendo comercialmente viável apenas nas regiões mais frias e de altitude dos estados do Sul. Objetivou-se avaliar o desempenho das cultivares de mirtilo ‘Emerald’ e ‘Jewel’, de baixa exigência em frio. Foram caracterizadas as fases de crescimento vegetativo, brotação, florescimento, frutificação e produção de frutos. A cultivar ‘Emerald’ apresenta dois picos de florescimento e frutificação, com a colheita principal ocorrendo de agosto a outubro, enquanto a cultivar ‘Jewel’ apresenta dois picos de emissão de botões florais, mas apenas um pico de florescimento e uma única colheita, que ocorre entre outubro e janeiro. Para ambas as cultivares, a produção ocorre durante o período de entressafra do mercado interno e externo, o que possibilita melhores preços para a fruta. É possível produzir ambas as cultivares em região subtropical sem a incidência de frio hibernal, demonstrando, assim, que essas cultivares apresentam menor exigência em frio do que relatado na literatura, e favorecendo a produção de frutos frescos na entressafra dos principais países produtores do hemisfério Norte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Bordignon Medina, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, ricardo.medina@usp.br

Tatiana Eugenia Cantuarias-Avilés, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, tatiana.cantuarias@gmail.com

Sérgio Figueiredo Angolini, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, sergio.angolini@usp.br

Simone Rodrigues da Silva, Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Departamento de Produção Vegetal, Piracicaba, São Paulo, Brasil, srsilva@usp.br

Downloads

Publicado

25-06-2018

Como Citar

BORDIGNON MEDINA, R.; EUGENIA CANTUARIAS-AVILÉS, T.; FIGUEIREDO ANGOLINI, S.; RODRIGUES DA SILVA, S. Mirtileiros ‘Emerald’ e ‘Jewel’ cultivados em ausência de frio hibernal. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 48, n. 2, p. 147–152, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/52093. Acesso em: 19 jun. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico