Seletividade de agrotóxicos registrados para a cultura da soja a Telenomus podisi e Trissolcus basalis

Autores

  • Ronaldo Zantedeschi Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, ronaldozantedeschi@gmail.com
  • Anderson Dionei Grützmacher Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, adgrutzm@ufpel.edu.br
  • Juliano de Bastos Pazini Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, julianopazzini@hotmail.com https://orcid.org/0000-0002-4350-1708
  • Flávio Amaral Bueno Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, flavioamaralbueno@gmail.com
  • Larissa Longaray Machado Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, larissalongaray@hotmail.com

Palavras-chave:

Glycine max, Controle biológico, Controle químico, Manejo integrado de pragas

Resumo

A utilização de agrotóxicos na cultura da soja pode prejudicar o controle biológico, caso os produtos não sejam seletivos a Telenomus podisi e Trissolcus basalis, que são importantes parasitoides de ovos de percevejos. Objetivou-se avaliar a seletividade de 15 agrotóxicos registrados para a cultura da soja sobre adultos de T. podisi e T. basalis. Realizaram-se três bioensaios em laboratório, totalizando 18 tratamentos, em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os inseticidas (g ou mL do i.a.) imidacloprido + beta-ciflutrina (0,25 + 0,03), deltametrina (0,06), tiametoxam + lambda-cialotrina (0,27 + 0,35), acefato (1,87) e fenitrotiona (1,25) são nocivos às duas espécies de parasitoides. Flubendiamida (1,20), diflubenzuron (2,00), Bacillus thuringiensis (0,08) e lufenuron (0,12) são inócuos a ambos os parasitoides. Os fungicidas azoxistrobina + flutriafol (0,31 + 0,31), trifloxistrobina + protioconazol (0,37 + 0,44), pyraclostrobina + metconazol (0,33 + 0,12) e trifloxistrobina + ciproconazol (0,94 + 0,40) são inócuos a T. podisi, mas levemente nocivos a T. basalis. Os herbicidas glufosinato sal de amônio (0,50) e o glifosato sal de isopropilamina (1,20) são inócuos a ambos os parasitoides.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ronaldo Zantedeschi, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, ronaldozantedeschi@gmail.com

Anderson Dionei Grützmacher, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, adgrutzm@ufpel.edu.br

Juliano de Bastos Pazini, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, julianopazzini@hotmail.com

Flávio Amaral Bueno, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, flavioamaralbueno@gmail.com

Larissa Longaray Machado, Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, Departamento de Fitossanidade, Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil, larissalongaray@hotmail.com

Downloads

Publicado

13-04-2018

Como Citar

ZANTEDESCHI, R.; DIONEI GRÜTZMACHER, A.; DE BASTOS PAZINI, J.; AMARAL BUENO, F.; LONGARAY MACHADO, L. Seletividade de agrotóxicos registrados para a cultura da soja a Telenomus podisi e Trissolcus basalis. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 48, n. 1, p. 52–58, 2018. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/50348. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico