EFEITOS DA OMISSÃO DE MACRONUTRIENTES EM SOLUÇÃO NUTRITIVA SOBRE O CRESCIMENTO E A NUTRIÇÃO DO MILHETO

Autores

  • Renato de Mello Prado Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • Anelisa de Aquino Vidal Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Palavras-chave:

Deficiência mineral, sintomas, Pennisetum tiphoideum

Resumo

Objetivou-se avaliar o efeito da omissão de macro-nutrientes no desenvolvimento e na nutrição de plantas de milheto, cv. BRS 1501. O experimento foi desenvolvido em casa de vegetação, com o uso de solução nutritiva aerada. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com sete tratamentos, que corresponderam à solução completa de Hoagland & Arnon (1950) e à omissão individual de N, P, K, Ca, Mg e S, em três repetições. Após duas semanas da semeadura, as plantas foram colocadas em vasos (2,5 L), aplicando-se os tratamentos. Após quatro semanas da aplicação dos tratamentos, avaliaram-se a altura das plantas, o número de folhas, o diâmetro do caule, a matéria seca e o teor e acúmulo dos macronutrientes na parte aérea das plantas. As omissões de N, P, Ca e K foram os tratamentos que mais limitaram o acúmulo desses nutrientes na planta e a produção de matéria seca do milheto. As plantas, no tratamento completo e nas omissões dos macronutrientes, apresentaram os seguintes teores de nutrientes na parte aérea, em g kg-1: N 35,5 e 16,1; P 3,3 e 0,4; K 37,4 e 7,2; Ca 4,2 e 0,7; Mg 1,7 e 0,6; e S 0,6 e 0,8, respectivamente. A omissão de um nutriente, além de promover a diminuição de seu acúmlo na parte aérea, causou desequilíbrio entre os demais nutrientes e, conseqüentemente, alterações que se traduziram em sintomas característicos da deficiência de cada nutriente.

PALAVRAS-CHAVE: Deficiência mineral; sintomas; Pennisetum tiphoideum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

29-09-2008

Como Citar

PRADO, R. de M.; VIDAL, A. de A. EFEITOS DA OMISSÃO DE MACRONUTRIENTES EM SOLUÇÃO NUTRITIVA SOBRE O CRESCIMENTO E A NUTRIÇÃO DO MILHETO. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 38, n. 3, p. 208–214, 2008. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/4845. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico