Crescimento e teores de solutos orgânicos e inorgânicos em amaranto sob estresse salino

Autores

  • Renata Velasques Menezes Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciências Agraria, Ambientais e Biológicas Pós-graduação em Engenharia Agrícola
  • André Dias de Azevedo Neto
  • Marcos de Oliveira Ribeiro Universidade Federal do Recôncavo da Bahia Centro de Ciências Agraria, Ambientais e Biológicas Pós-graduação em Solos e Qualidade de Ecossistemas
  • Alide Mitisue Watanabe Cova

Palavras-chave:

Amaranthus cruentus L., salinidade, solutos inorgânicos, solutos orgânicos, íons tóxicos.

Resumo

O Amaranthus cruentus L. é uma espécie forrageira, com grãos que possuem ótimas características nutricionais, sendo a cultivar ‘BRS Alegria’ a primeira recomendada para cultivo no Brasil. Objetivou-se avaliar o efeito do estresse salino no crescimento e concentrações de solutos orgânicos e inorgânicos em Amaranthus cruentus L. cv. ‘BRS Alegria’. Foram avaliados a altura, diâmetro do caule, número de folhas, massa seca das folhas, caule e raízes, área foliar, teor relativo de água, porcentagem de integridade das membranas e teores de carboidratos solúveis, aminoácidos livres, proteínas solúveis, prolina livre, Na+, Cl- e K+, nos diferentes órgãos da planta. A salinidade reduziu fortemente a produção de biomassa e a área foliar a partir do tratamento com 25 mM de NaCl, indicando que a cultivar ‘BRS Alegria’ é sensível ao estresse salino. Os carboidratos solúveis nas folhas diminuíram 59 %, enquanto os demais solutos orgânicos não apresentaram aumentos substanciais. Esses resultados, associados à diminuição do teor relativo de água e da integridade das membranas, sugerem uma baixa capacidade dessa cultivar para o ajustamento osmótico sob estresse salino. A razão K+/Na+ reduziu-se abruptamente em 25 mM de NaCl, sugerindo desequilíbrio iônico, o que pode, ao menos em parte, explicar a redução de crescimento induzida pelo sal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

10-03-2017

Como Citar

MENEZES, R. V.; AZEVEDO NETO, A. D. de; RIBEIRO, M. de O.; COVA, A. M. W. Crescimento e teores de solutos orgânicos e inorgânicos em amaranto sob estresse salino. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 47, n. 1, p. 22–30, 2017. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/42580. Acesso em: 2 mar. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico