RENDIMENTO INDUSTRIAL E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE MILHO DE ALTA QUALIDADE PROTÉICA EM RELAÇÃO A HÍBRIDOS COMERCIAIS

Autores

  • Maiza Vieira Leão de Castro Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos-Universidade Federalde Goiás
  • Maria Margareth Veloso Naves Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás
  • Jaison Pereira de Oliveira Embrapa Arroz e Feijão - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária
  • Luciana de Oliveira Froes Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás

Palavras-chave:

Milho QPM, gérmen de milho, rendimento de milho degerminado, composição química do milho, nutrientes do milho

Resumo

A dureza do endosperma do milho é atributo essencial para produtores e indústrias que utilizam este cereal como matéria-prima. Porém, os milhos de alta qualidade protéica (Quality Protein Maize – QPM) apresentam alterações na textura do grão, dificultando seu uso comercial. Este trabalho avaliou o rendimento industrial na degerminação do grão e fracionamento do endosperma, e a composição química de uma variedade de milho QPM, em relação a híbridos comerciais de milho comum. O milho QPM e os híbridos de milho comum foram processados, utilizando-se método de degerminação a seco, e o rendimento resultante foi dado pela relação entre o peso das frações obtidas e o peso inicial do milho inteiro. O milho QPM apresentou, em comparação aos milhos híbridos comerciais, menor rendimento de endosperma, maior rendimento de gérmen e de frações finas (< 0,425 mm) e mesmo rendimento de canjica, no fracionamento do endosperma. Foram constatados teores similares de proteínas, lipídios e cinzas e maiores teores de fibra alimentar e de ferro no gérmen do milho QPM, em relação aos híbridos de milho comum. O milho QPM e suas frações apresentam potencial de uso na indústria de alimentos, como matéria-prima que agrega valor nutricional aos produtos gerados.

PALAVRAS-CHAVE: Milho QPM; gérmen de milho; rendimento de milho degerminado; composição química do milho; nutrientes do milho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maiza Vieira Leão de Castro, Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos-Universidade Federalde Goiás

Mestranda em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela Escola de Agronômia e Engenharia de Alimentos - UFG.

Maria Margareth Veloso Naves, Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás

Docente da Faculdade de Nutrição- Universidade Federal de Goiás

Jaison Pereira de Oliveira, Embrapa Arroz e Feijão - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Pesquisador da Embrapa Arroz e Feijão - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Luciana de Oliveira Froes, Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás

Discente da Faculdade de Nutrição - Universidade Federal de Goiás

Downloads

Publicado

21-09-2009

Como Citar

LEÃO DE CASTRO, M. V.; VELOSO NAVES, M. M.; PEREIRA DE OLIVEIRA, J.; DE OLIVEIRA FROES, L. RENDIMENTO INDUSTRIAL E COMPOSIÇÃO QUÍMICA DE MILHO DE ALTA QUALIDADE PROTÉICA EM RELAÇÃO A HÍBRIDOS COMERCIAIS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 3, p. 233–242, 2009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/4159. Acesso em: 20 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico