LODO DE ESGOTO NA FERTILIDADE DO SOLO, NA NUTRIÇÃO DE Brachiaria decumbens E NA ATIVIDADE DA DESIDROGENASE

Autores

  • Fabio Fernando de Araujo UNOESTE
  • Fabio Carmona Gil
  • Carlos Sérgio Tiritan

Palavras-chave:

Atividade microbiana, pastagens, biosólido, mineralização de N.

Resumo

Em condições de casa de vegetação, estudou-se o efeito das doses crescentes de lodo de esgoto seco (classe A), equivalentes a 0 mg, 20 mg, 40 mg e 80 mg de N dm-3 de solo, originário da Estação de Tratamento de Esgoto de Franca, SP, comparado aos da adubação mineral nitrogenada (40 kg uréia ha-1), quando aplicado a um Argissolo Vermelho-Amarelo distroférrico, sobre a fertilidade do solo, nutrição de Brachiaria decumbens e atividade da enzima desidrogenase. O experimento foi conduzido em Presidente Prudente, SP, utilizando-se vasos com 5 kg de solo, durante o ano de 2005. O delineamento experimental foi em blocos inteiramente casualizados, com quatro repetições. A aplicação das maiores doses de lodo de esgoto aumentou o teor de fósforo no solo, em cerca de 70%. O aumento da atividade da desidrogenase no solo apresentou correlação significativa com o aumento das doses de lodo aplicadas ao solo. Somente a maior dose de lodo aplicada (80 mg de N dm-3 de solo) proporcionou aumento na produção de massa seca da parte aérea, ao passo que todas as doses de lodo aplicadas no solo proporcionaram aumento no teor foliar de N da Brachiaria decumbens.

PALAVRAS-CHAVE: Atividade microbiana; pastagens; biosólido; mineralização de N.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Fernando de Araujo, UNOESTE

Faculdade de Ciências Agrárias, UNOESTE

Fabio Carmona Gil

Faculdade de Ciências Agrárias, UNOESTE

Carlos Sérgio Tiritan

Faculdade de Ciências Agrárias, UNOESTE

Downloads

Publicado

26-01-2009

Como Citar

DE ARAUJO, F. F.; GIL, F. C.; TIRITAN, C. S. LODO DE ESGOTO NA FERTILIDADE DO SOLO, NA NUTRIÇÃO DE Brachiaria decumbens E NA ATIVIDADE DA DESIDROGENASE. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 39, n. 1, p. 1–6, 2009. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/3319. Acesso em: 26 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico