Nanopartículas de prata: método alternativo de sanitização para couve minimamente processada

Autores

  • Emiliane Andrade Araújo Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Departamento de Engenharia de Alimentos, Uberaba, MG, Brasil.
  • Flávia Regina Passos Universidade Federal de Viçosa (UFV), Instituto de Ciências Agrárias, Rio Paranaíba, MG, Brasil.
  • Lorena Ribeiro Universidade Federal de Viçosa (UFV), Instituto de Ciências Agrárias, Rio Paranaíba, MG, Brasil.
  • Adayane Aparecida Pereira Universidade Federal de Viçosa (UFV), Instituto de Ciências Agrárias, Rio Paranaíba, MG, Brasil.
  • José Felício Queiroz Fialho Júnior Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Viçosa, MG, Brasil.

Palavras-chave:

Brassica oleracea L., agentes antimicrobianos, hidrofobicidade.

Resumo

O processamento mínimo de hortaliças visa, basicamente, a estender a vida útil dos alimentos, o que depende de uma série de fatores, como, por exemplo, a sanitização, a qual é considerada etapa fundamental para a qualidade microbiológica do alimento. No entanto, os agentes antimicrobianos usuais reduzem a população microbiana em, no máximo, dois ciclos logarítmicos. Dessa forma, existe a necessidade de desenvolvimento de sanitizantes alternativos. O presente trabalho objetivou aumentar a inocuidade de couve minimamente processada, por meio de sanitização com nanopartículas de prata. Observou-se que as nanopartículas promoveram três reduções logarítmicas, ou seja, 99,9 % de redução, na população de Escherichia coli inoculada na superfície da couve. Quando comparadas com outros agentes antimicrobianos (dicloroisocianurato de sódio e hipoclorito de sódio), as nanopartículas mostraram-se mais eficientes na sanitização da couve minimamente processada, apresentando menor contagem de mesófilos aeróbios. Observou-se, também, que a superfície da couve apresenta características hidrofóbicas, resultando em maior propensão para adesão bacteriana, o que foi confirmado na avaliação da termodinâmica de adesão favorável para Staphylococcus aureus, Escherichia coli e Listeria innocua.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

06-04-2015

Como Citar

ARAÚJO, E. A.; PASSOS, F. R.; RIBEIRO, L.; PEREIRA, A. A.; FIALHO JÚNIOR, J. F. Q. Nanopartículas de prata: método alternativo de sanitização para couve minimamente processada. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 45, n. 2, p. 138–145, 2015. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/30551. Acesso em: 19 maio. 2024.

Edição

Seção

Produção Vegetal