AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS COMERCIAIS DE MILHO (Zea mays L.) VISANDO À PRODUÇÃO DE SILAGENS

Autores

  • Milton Luiz Moreira Lima UFG
  • Deborah Clea Ruy UFG
  • Aldi Fernandes Souza França UFG
  • Carlos Eduardo Carrijo dos Santos UFG

Palavras-chave:

Digestibilidade, degradabilidade, nutrição, ruminantes

Resumo

O trabalho objetivou avaliar o valor nutricional de seis híbridos de milho de ciclo precoce para produção de silagem. Os híbridos estudados, todos produzidos pela Cargill Agrícola S.A., foram: C901, C915, C125, C855, C808 e C805. A degradabilidade in situ da matéria seca (DegMS) e fibra em detergente neutro (DegFDN), bem como a digestibilidade verdadeira in situ da MS (DISVMS), foram avaliadas utilizando três novilhas ExZ, com cânula no rúmen e recebendo ad libitum uma ração composta por silagem de resíduo de milho, farelo de soja e sal mineralizado. Após 13 dias de adaptação à ração, amostras de 3,5 g dos seis híbridos foram colocadas em sacolas de náilon de 12 x 7 cm e incubadas no rúmen por 6, 12, 24, 48 e 96 horas. As comparações entre médias foram feitas pelo teste de Tukey (p < 0,10). Os resultados para DISVMS, DegMS (Potencial e Efetiva) e DegFDN (Potencial e Efetiva) foram: C901 - 81,1 ab.; 83,0 a.; 50,0 a.; 62,0 a.; 24,2; C9l5 - 81,5 a.; 83,2 a.; 52,0 a.; 54,2 bc.; 21,8; C125 - 72,8 c.; 74,9 c.; 43,7 bc.; 56,2 abc.; 21,4; C855 - 78,0 abc.; 78,4 b.; 43,2 c; 59,7 ab.; 23,5; C808 - 76,9 abc.; 78,0 b.; 49,0 ab.; 50,9 c.; 20,9; C805 - 76,0 bc.; 77,3 bc; 46,5 abc.; 57,0 abc; 23,1. Portanto, foi possível concluir que os híbridos C901 e C915 apresentaram o maior potencial para produção de silagem de alto valor nutritivo.

PALAVRAS-CHAVE: Digestibilidade; degradabilidade; nutrição; ruminantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

14-12-2007

Como Citar

LIMA, M. L. M.; RUY, D. C.; FRANÇA, A. F. S.; SANTOS, C. E. C. dos. AVALIAÇÃO DE HÍBRIDOS COMERCIAIS DE MILHO (Zea mays L.) VISANDO À PRODUÇÃO DE SILAGENS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 25, n. 2, p. 81–88, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2904. Acesso em: 5 fev. 2023.

Edição

Seção

Artigo Científico