Calcário, gesso e efeito residual de fertilizantes na produção de biomassa e ciclagem de nutrientes de milheto

Autores

  • Adriano Stephan Nascente Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Arroz e Feijão), Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil.
  • Maria da Conceição Santana Carvalho Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Arroz e Feijão), Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil.

Palavras-chave:

Pennisetum glaucum (L.) R. Brown, Glycine max (L.) Merr, nutrição mineral, Cerrado.

Resumo

Plantas de cobertura podem proporcionar maior ciclagem de nutrientes. O trabalho objetivou determinar o efeito da aplicação anual de gesso e calcário à superfície do solo e de doses de fertilizantes à cultura anterior (soja), na produção de biomassa seca e no acúmulo de nutrientes por plantas de milheto cultivadas em sucessão, sob sistema plantio direto. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, em esquema fatorial 4x4, com quatro repetições. Os tratamentos consistiram da combinação de quatro tipos de condicionadores de solo (calcário, calcário + gesso, gesso e controle), parcelados em três partes (2 t ha-1 de calcário e 1,0 t ha-1 de gesso; 2 t ha-1 de calcário e 1,0 t ha-1 de gesso; e 1 t ha-1 de calcário e 0,5 t ha-1 de gesso), com quatro níveis de adubação com P (superfosfato simples e triplo) e K (cloreto de potássio) (0%, 50%, 100% e 150% da adubação recomendada), aplicados na semeadura da cultura anterior (soja). O calcário proporcionou incrementos na produção de biomassa seca e no acúmulo de nutrientes (N, P, K Ca, Mg e S), pelas plantas de milheto. O gesso não proporcionou alterações na produção de biomassa seca do milheto. A utilização de doses crescentes de fertilizantes na cultura anterior (soja) aumentou a produção de biomassa seca, concentração e acúmulo de nutrientes nas plantas de milheto. O emprego do milheto como planta de cobertura, na entressafra, utilizando o efeito residual do fertilizante aplicado à cultura de verão, proporcionou ciclagem de nutrientes que pode ser utilizada pela cultura em sucessão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adriano Stephan Nascente, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Arroz e Feijão), Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil.

Eng. Agrônomo, EA/UFG. M.Sc. UnB. Extensionista/ Pesquisador - Emater/ AgênciaRural/ Seagri 1993-2002. Pesquisador - Embrapa Arroz e Feijão 2002 - Atual. Doutorado pela Unesp Botucatu e University of Florida (sanduiche).

Maria da Conceição Santana Carvalho, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Arroz e Feijão), Santo Antônio de Goiás, GO, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Bahia (1992), Mestrado em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade de São Paulo (1994) e Doutorado em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade de São Paulo (1999). Fez Pós-doutoramento no Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (2000 e 2001), trabalhando com dinâmica da matéria orgânica do solo. Desde outubro de 2001 é pesquisadora da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Algodão, Embrapa Arroz e Feijão). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fertilidade do Solo e Adubação, atuando principalmente nos seguintes temas: manejo do solo, adubação e nutrição do algodoeiro, adubação em sistemas de produção, avaliação agronômica de novas tecnologias em fertilizantes, dinâmica de nutrientes em sistemas agrícolas, dinâmica da matéria orgânica em sistemas agrícolas e recuperação de pastagens. (

Downloads

Publicado

08-12-2014

Como Citar

NASCENTE, A. S.; CARVALHO, M. da C. S. Calcário, gesso e efeito residual de fertilizantes na produção de biomassa e ciclagem de nutrientes de milheto. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 4, p. 370–380, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/27597. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Produção Vegetal