Divergência genética e índice de seleção via BLUP em acessos de algodoeiro para características tecnológicas da fibra

Autores

  • Maria Aparecida Vilela de Resende Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ubá, Ubá, MG, Brasil.
  • Joelson André de Freitas Nunhems - Bayer Crop Science, Setor de Melhoramento Vegetal, Campinas, SP, Brasil.
  • Marcelo Abreu Lanza Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Divisão de Pesquisa Vegetal, Belo Horizonte, MG, Brasil.
  • Marcos Deon Vilela de Resende Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Estatística, Viçosa, MG, Brasil.
  • Camila Ferreira Azevedo Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Estatística, Viçosa, MG, Brasil.

Palavras-chave:

Gossypium hirsutum L., melhoramento de algodão, análise multivariada.

Resumo

As características tecnológicas da fibra do algodoeiro são determinantes da qualidade de seus produtos e de sua remuneração. Este trabalho objetivou estimar a divergência genética entre acessos de algodoeiro e ordenar os melhores, com base em um índice de seleção combinando todas essas características de interesse. Foram avaliados 248 acessos de algodoeiro, empregando-se análise multivariada (distância de Mahalanobis e agrupamento de Tocher) e índice de seleção baseado em rank médio via metodologia de modelos mistos (REML/BLUP). A análise de agrupamento de Tocher permitiu a estruturação populacional dos acessos, resumindo-os em 14 grupos divergentes. As acurácias seletivas foram altas para todas as características avaliadas, variando de 0,89 a 0,94, indicando situação favorável à seleção. As correlações entre as seis variáveis apresentaram magnitudes moderadas a baixas, não sendo possível o melhoramento de uma característica, via seleção indireta, em outra. A seleção simultânea para as características de fibra, com base no índice de seleção de Mulamba e Mock, mostrou-se promissora. Os melhores acessos para as seis variáveis, simultaneamente, foram 4S180, C96480, Giza75, 196Lasani11, Brown Egyptian, Early Fluff 316, C268-80 e 207MG-82607.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Aparecida Vilela de Resende, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ubá, Ubá, MG, Brasil.

Engenheira Agrônoma, mestre em genética e melhoramento de plantas e doutora em Fitotecnia.Atuou como pesquisadora em melhoramento de algodão  na EPAMIG/Centro Tecnológico do Norte de Minas de 1992 a 1997. De 1997 a 2010 foi  professora do Departamento de Ciências Agrárias da Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES), lecionando e orientando nos cursos de graduação e pós-graduação. Atualmente é professora da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Unidade de Ubá-MG.

Joelson André de Freitas, Nunhems - Bayer Crop Science, Setor de Melhoramento Vegetal, Campinas, SP, Brasil.

Graduou-se em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal de Lavras em 1994, obteve os títulos de Mestre e Doutor em Genética e Melhoramento de Plantas pela mesma Universidade, respectivamente, em 1996 e 1999. Atualmente é melhorista de plantas na empresa Nunhems-Bayer

Marcelo Abreu Lanza, Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Divisão de Pesquisa Vegetal, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1992), mestrado em Agroquímica pela Universidade Federal de Viçosa (1994) e doutorado em Agronomia (Genética e Melhoramento de Plantas) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005). Atualmente é pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, chefe da Divisão de Pesquisa Vegetal. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Melhoramento Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: gossypium hirsutum, melhoramento genético do algodoeiro e adaptabilidade e estabilidade

Marcos Deon Vilela de Resende, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Estatística, Viçosa, MG, Brasil.

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela UFLA, graduação em Estatística pela UFPR, mestrado em Genética e Melhoramento de Plantas pela USP/ESALQ, doutorado em Genética pela UFPR e pós-doutorado em Matemática Biométrica pelo Rothamsted Research Institute - Londres (2002-2004). Pesquisador da Embrapa (Embrapa Florestas desde 1990 e Embrapa Gado de Corte de 2005 a 2007) e Professor Credenciado na Universidade Federal de Viçosa (UFV, desde 2007) e Universidade Federal do Paraná (UFPR, 1994-2012), onde orienta e co-orienta estudantes de mestrado e doutorado nas áreas de Estatística, Genética e Melhoramento. Na UFV atua nos programas de pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria, Genética e Melhoramento, Fitotecnia, Zootecnia e Ciência Florestal. Co-orienta na UFLA, USP e UNESP. Tem experiência na área de Genética Quantitativa.

Camila Ferreira Azevedo, Universidade Federal de Viçosa (UFV), Departamento de Estatística, Viçosa, MG, Brasil.

Possui graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal de Viçosa(2010) e mestrado em Estatística Aplicada e Biometria pela Universidade Federal de Viçosa(2012). Doutorado em andamento em Estatística Aplicada e Biometria.

Downloads

Publicado

02-10-2014

Como Citar

RESENDE, M. A. V. de; FREITAS, J. A. de; LANZA, M. A.; RESENDE, M. D. V. de; AZEVEDO, C. F. Divergência genética e índice de seleção via BLUP em acessos de algodoeiro para características tecnológicas da fibra. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 3, p. 334–340, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/26957. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Genética e Melhoramento de Plantas