ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE RENDIMENTO DE GENÓTIPO DE SOJA (Glycine Max (L.) Merrill) , NAS CONDIÇÕES DE GOIÁS E DISTRITO FEDERAL

Autores

  • João Batista Duarte UFG
  • Renato Barbosa Rolim EMGOPA
  • Pedro M. F. de Oliveira EMGOPA
  • Jales Rodrigues de Souza UFG

Palavras-chave:

Soja, genótipo, adaptabilidade

Resumo

Com o objetivo de subsidiar a avaliação final de cultivares de soja para Goiás e Distrito Federal, o presente trabalho propôs-se a quantificar a adaptabilidade e estabilidade no comportamento produtivo do germoplasma testado nos anos agrícolas 1986/87 a 1988/89. O método estatístico adotado baseou-se na regressão linear segmentada, que permite avaliar, separadamente, as respostas produtivas de cada genótipo em ambientes abaixo da média geral e naqueles de produtividade acima desta média. No que se refere à adoção da metodologia, pôde-se verificar que apenas 14% dos genótipos não tiveram seus comportamentos satisfatoriamente explicados pelo método, indicando um ajuste adequado aos dados de rendimento de grãos. Quanto à identificação dos genótipos com características desejáveis, sugeriu-se que os parâmetros produtividade média (Yi) e estabilidade de comportamento (s²di) fossem considerados como prioritários em relação à adaptabilidade (bli e b2i). Logo, a faixa ambiental de adaptação do genótipo só tem interesse agronômico se o genótipo apresentar elevada produtividade média e comportamento previsível (estável). Desta forma, foram indicados dentro de cada grupo de maturação (precoce, médio e tardio), os genótipos mais promissores agronomicamente. Uma avaliação crítica do comportamento produtivo dos cultivares testemunhas, foi feita visando a subsidiar essa escolha em ensaios futuros.

PALAVRAS-CHAVE: Soja; genótipo; adaptabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

07-12-2007

Como Citar

DUARTE, J. B.; ROLIM, R. B.; OLIVEIRA, P. M. F. de; SOUZA, J. R. de. ADAPTABILIDADE E ESTABILIDADE DE RENDIMENTO DE GENÓTIPO DE SOJA (Glycine Max (L.) Merrill) , NAS CONDIÇÕES DE GOIÁS E DISTRITO FEDERAL. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 24, n. 1, p. 95–114, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2668. Acesso em: 30 set. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico