Tensões de água no solo no cultivo de mamoneira

Autores

  • Gervásio Fernando Alves Rios Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Engenharia Agrícola e Agronômica de Água, Solo e Planta, Brasília, DF, Brasil.
  • Luiz Gonsaga de Carvalho Universidade Federal de Lavras (UFLa), Departamento de Engenharia, Lavras, MG, Brasil.
  • Bruno Montoani Silva Universidade Federal de Lavras (UFLa), Departamento de Ciência do Solo, Lavras, MG, Brasil.
  • Fátima Conceição Rezende Universidade Federal de Lavras (UFLa), Departamento de Engenharia, Lavras, MG, Brasil.
  • Geraldo Magela Pereira Universidade Federal de Lavras (UFLa), Departamento de Engenharia, Lavras, MG, Brasil.

Palavras-chave:

Ricinus communis L., manejo de irrigação, fator de cobertura do solo, depleção de água no solo.

Resumo

Com a crescente demanda energética mundial, maior atenção tem sido destinada à produção de oleaginosas como fontes alternativas de energia, sendo a irrigação uma das tecnologias adotadas para o aumento da produção. Objetivou-se, com este trabalho, estudar o efeito de diferentes tensões e respectivos esgotamentos de água no solo, no cultivo da mamoneira (cv. AL Guarany 2002). Foi utilizado o delineamento de blocos ao acaso, com cinco tensões de água no solo (15 kPa, 30 kPa, 45 kPa, 60 kPa e 75 kPa) e quatro repetições. Foi avaliada a eficiência de uso da água (EUA) e a produtividade, em função da tensão de água no solo e respectiva fração de esgotamento de água. Além disso, avaliou-se o fator de cobertura do solo e altura das plantas, durante o ciclo da cultura, verificando-se o seu aumento até 125 e 200 dias após o transplantio, respectivamente. A EUA, seguindo a ordem dos racemos produzidos - primário (EUAP), secundário (EUAS), terciário (EUAT) e total da cultura (EUAC) - foi linearmente reduzida com o aumento da restrição hídrica, sendo os maiores valores observados para o tratamento à menor tensão (15 kPa). Para todos os tratamentos de irrigação, a maior EUA e produtividade foram observadas nos racemos secundários. A maior produtividade foi de 1.994,14 kg ha-1, para a tensão de 15 kPa e fração de esgotamento de água no solo de 28%, e a menor de 773,91 kg ha-1, para a tensão de 75 kPa e fração de esgotamento de água no solo de 83%.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

16-09-2014

Como Citar

RIOS, G. F. A.; CARVALHO, L. G. de; SILVA, B. M.; REZENDE, F. C.; PEREIRA, G. M. Tensões de água no solo no cultivo de mamoneira. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 44, n. 3, p. 287–293, 2014. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/26235. Acesso em: 22 jul. 2024.

Edição

Seção

Engenharia de Biossistemas