CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA RADIAÇÃO GLOBAL E DA INSOLAÇÃO NA MICRO-REGIÃO DO MATO GROSSO DE GOIÁS

Autores

  • Olivar José da Silva M. Lobato UFG
  • Engler José Vidigal Lobato UFG
  • Vicente Antônio Gonçalves UFG

Resumo

O presente trabalho analisa as médias mensais de radiação solar global diária, radiação solar global relativa diária, insolação diária do Mato Grosso de Goiás. Os dados utilizados foram obtidos na Estação Evaporimétrica de lª classe, Modelo DNAEE — CPRM, localizada na Escola de Agronomia — UFG, latitude: 16°41'S, longitude 49°17'W GRW, altitude 680,00m e na Estação do Centro Nacional de Pesquisa de Arroz e Feijão - EMBRAPA, Goiânia — GO. A correlação entre as médias mensais da radiação solar global relativa diária e da insolação relativa diária permitiu concluir que a equação linear para a região do Mato Grosso de Goiás é o seguinte: Kg = Ka (0,27 + 0,49 n/N), onde, Kg = radiação solar global diária (ly/dia), Ka = radiação solar global diária, no topo da atmosfera (ly/dia), n = insolação diária, N = insolação máxima diária (h/dia). A metodologia adotada foi a proposta por PRESCOTT(1940) e PANMAN (1948), citada por BLACK et al (1954) para estimativa dos parâmetros a e b. A equação linear determinada mostrou um coeficiente de correlação igual a 0,95, e significância de 0,l% de probabilidade, sendo sua utilização recomendada para estimativas de valores médios de radiação solar recebida na superfície da terra, em período de cinco ou mais dias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

19-11-2007

Como Citar

LOBATO, O. J. da S. M.; LOBATO, E. J. V.; GONÇALVES, V. A. CONTRIBUIÇÃO AO ESTUDO DA RADIAÇÃO GLOBAL E DA INSOLAÇÃO NA MICRO-REGIÃO DO MATO GROSSO DE GOIÁS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 12, n. 1, p. 55–75, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2423. Acesso em: 21 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigo Científico