CARACTERIZAÇÃO DE AMBIENTES DE CERRADO COM ALTA DENSIDADE DE PEQUIZEIROS (Caryocar brasiliense Camb.) NA REGIÃO SUDESTE DO ESTADO DE GOIÁS

Autores

  • João das Graças Santana
  • Ronaldo Veloso Naves

Palavras-chave:

Frutíferas do cerrado, pequi, Caryocaraceae, fertilidade do solo

Resumo

O pequizeiro (Caryocar brasiliense Camb.) é uma espécie de grande potencial econômico do cerrado. O objetivo deste trabalho foi caracterizar vinte áreas de cerrado com alta densidade natural de pequizeiros na região Sudeste de Goiás, sendo cada área de 1,0 ha. Chegou-se às seguintes conclusões: o pequizeiro ocorre em solos considerados de fertilidade baixa para a maioria das plantas cultivadas; os cambissolos e o litossolo apresentam maior densidade de plantas de pequizeiro quando comparados com os latossolos; a densidade de plantas de pequizeiro correlaciona-se positivamente, entre as áreas, com os teores de P e Zn e com a CTC total do solo; a área basal média dos pequizeiros correlaciona-se positivamente com o teor de K e a saturação por bases, e negativamente com os teores de H+Al e a CTC total; a altura média e a produção dos pequizeiros correlacionam-se positivamente com o teor de K no solo e com a saturação por bases; a produção de frutos por planta, em média, é baixa e proporcional à altura e ao diâmetro médio da copa; o número de plantas com frutos foi maior que o de plantas sem frutos a partir do diâmetro de 10 cm, sendo esta uma relação que aumenta com o diâmetro.

PALAVRAS-CHAVE: Frutíferas do cerrado; pequi; Caryocaraceae; fertilidade do solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

João das Graças Santana

Centro Federal de Educação Tecnológica de Rio Verde, C. Postal 66, CEP 75901-970, Rio Verde, GO.

Downloads

Publicado

15-11-2007

Como Citar

SANTANA, J. das G.; NAVES, R. V. CARACTERIZAÇÃO DE AMBIENTES DE CERRADO COM ALTA DENSIDADE DE PEQUIZEIROS (Caryocar brasiliense Camb.) NA REGIÃO SUDESTE DO ESTADO DE GOIÁS. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 33, n. 1, p. 1–10, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2380. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico