Qualidade do solo cultivado com morangueiro sob manejo convencional e orgânico

Autores

  • Jales Viana Falcão Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Brasília, DF, Brasil.
  • Marilusa Pinto Coelho Lacerda Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF, Brasil.
  • Ieda de Carvalho Mendes Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cerrados), Brasília, DF, Brasil.
  • Tairone Paiva Leão Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF, Brasil.
  • Fabiana Fonseca do Carmo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Brasília, DF, Brasil.

Palavras-chave:

Fragaria X ananassa Duch., beta-glicosidase, fosfatase ácida.

Resumo

A manutenção das funções do solo nos agroecossistemas encontra-se entre os principais desafios da comunidade científica, na atualidade. Assim, este estudo objetivou avaliar indicadores físicos, químicos e biológicos de qualidade do solo, em três unidades de produção comercial de morango, em Brazlândia (DF), sendo duas sob sistema de produção convencional (Conv1 e Conv2) e uma sob sistema orgânico (Org). O Conv1 é caracterizado pelo cultivo de morango em área que esteve ocupada por 12 anos com pastagem (Brachiaria spp.), sem controle de lotação e sem adubação; o Conv2 pelo cultivo do morango em sucessão/rotação com outras espécies olerícolas; e o Org ocorreu após a adubação verde com o consórcio de milho e mamona. Os atributos indicadores de qualidade do solo avaliados foram: densidade de solo, estabilidade de agregados, matéria orgânica, capacidade de troca catiônica (CTC), condutividade elétrica, ?-glicosidase e fosfatase ácida. Os valores observados para os indicadores físicos foram, de maneira geral, considerados sustentáveis, para latossolos do Cerrado. Os teores de matéria orgânica mostraram-se similares em todos os sistemas e a CTC foi superior ou próxima ao limite crítico considerado sustentável. Em função da elevada aplicação de fertilizantes, a maior condutividade elétrica foi registrada para o Conv2, mas não houve efeito deletério sobre a produtividade. As atividades das enzimas ?-glicosidase e fosfatase ácida indicaram boa qualidade biológica do solo, em todas as unidades produtivas de morango avaliadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jales Viana Falcão, Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Brasília, DF, Brasil.

Analista ambiental do Instituto Brasília Ambiental.

Marilusa Pinto Coelho Lacerda, Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF, Brasil.

Professora Associado II da Área de Solos da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília

Ieda de Carvalho Mendes, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa Cerrados), Brasília, DF, Brasil.

Pesquisadora em microbiologia do solo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Centro de Pesquisas Agropecuárias do Cerrado.

Tairone Paiva Leão, Universidade de Brasília (UnB), Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF, Brasil.

Professora Adjunto da Área de Solos da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília

Fabiana Fonseca do Carmo, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Brasília, DF, Brasil.

Analista ambiental do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte

Downloads

Publicado

16-12-2013

Como Citar

FALCÃO, J. V.; LACERDA, M. P. C.; MENDES, I. de C.; LEÃO, T. P.; CARMO, F. F. do. Qualidade do solo cultivado com morangueiro sob manejo convencional e orgânico. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 43, n. 4, p. 450–459, 2013. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/23494. Acesso em: 28 maio. 2024.

Edição

Seção

Ciência do Solo