ESTABILIDADE PRODUTIVA DE HÍBRIDOS E VARIEDADES DE MILHO NO MEIO-NORTE BRASILEIRO

Autores

  • Milton José Cardoso
  • Hélio Wilson Lemos de Carvalho
  • Antônio Carlos de Oliveira
  • Evanildes Menezes de Souza

Palavras-chave:

Interação genótipo x ambiente, cultivar, Zea mays

Resumo

Foram avaliadas 24 cultivares de milho (21 variedades e três híbridos), em doze ambientes da Região Meio-Norte do Brasil (seis no Estado do Piauí e seis no Estado do Maranhão), nos anos agrícolas de 2000/2001 e 2001/2002, objetivando conhecer a adaptabilidade e a estabilidade fenotípica desses materiais para fins de recomendação. Na análise conjunta de variância, observaram-se diferenças entre os ambientes, entre as cultivares e inconsistência no comportamento das cultivares diante das oscilações ambientais. A produtividade média de grãos observada (5.934 kg.ha-1) mostra a potencialidade da região para o desenvolvimento da cultura do milho, colocando-a em condições de competir com áreas de estados como Mato Grosso e Goiás. Todos os materiais avaliados, à exceção da variedade Sertanejo e do híbrido BRS 2110, mostraram alta estabilidade nos ambientes considerados.

PALAVRAS-CHAVE: Interação genótipo x ambiente; cultivar; Zea mays.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-11-2007

Como Citar

CARDOSO, M. J.; CARVALHO, H. W. L. de; OLIVEIRA, A. C. de; SOUZA, E. M. de. ESTABILIDADE PRODUTIVA DE HÍBRIDOS E VARIEDADES DE MILHO NO MEIO-NORTE BRASILEIRO. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 34, n. 3, p. 167–172, 2007. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/2310. Acesso em: 9 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo Científico