Interação entre pressão e tamanho de gota por instrumentação eletrônica em pulverizador pressurizado por CO2

Autores

  • Raul Rodolfo Francischetti Gabriel Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)
  • Fábio Henrique Rojo Baio Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Palavras-chave:

Máquinas agrícolas, pulverização agrícola, agrotóxicos.

Resumo

O pulverizador agrícola mais utilizado para determinar a eficiência e dosagens de agrotóxicos é o do tipo costal pressurizado por CO2, que permite a aplicação de pequenos volumes de agrotóxicos, exatamente na quantidade necessária para a aplicação em parcelas experimentais com áreas pequenas. Entretanto, estes pulverizadores não conseguem manter a pressão de trabalho por muito tempo de aplicação, ocasionando variação no volume de aplicação e no tamanho de gotas. Este trabalho objetivou avaliar a variação da pressão no circuito hidráulico de um pulverizador costal pressurizado por CO2 e a influência do volume de calda no reservatório sobre o tamanho de gotas e o volume de aplicação. Utilizaram-se transdutores de pressão instalados no circuito de pressão hidráulica, os sinais elétricos foram gravados por um coletor de dados e o tamanho de gotas foi medido com o auxílio de papéis hidrossensíveis. Verificou-se que, durante a aplicação, houve diminuição da pressão no circuito hidráulico do pulverizador, independentemente do volume de calda no reservatório. A maior variação de pressão ocorreu com o volume de aplicação de 100,0 L ha-1, seguido de 150,0 L ha-1 e 200,0 L ha-1. Assim, quanto menor o volume de aplicação, maior foi a variação da pressão, não importando o volume de calda. O tamanho das gotas geradas aumentou com a diminuição da pressão do circuito hidráulico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

08-07-2013

Como Citar

GABRIEL, R. R. F.; BAIO, F. H. R. Interação entre pressão e tamanho de gota por instrumentação eletrônica em pulverizador pressurizado por CO2. Pesquisa Agropecuária Tropical, Goiânia, v. 43, n. 2, p. 164–169, 2013. Disponível em: https://revistas.ufg.br/pat/article/view/19792. Acesso em: 4 mar. 2024.

Edição

Seção

Engenharia de Biossistemas